EXAME FINAL | De 0 a 20

0
376

Nota 5 – Nunosantismo ou Gonçalvismo: Parte do pós 25 de abril de 1974 ficou conhecido como o período do “gonçalvismo”, decorrente do nome do então Primeiro-Ministro, Vasco Gonçalves, cuja governação ficou marcada por uma clara intervenção na vida económica do país, onde a estatização e coletivização eram palavras de ordem. Na vida política atual, parte do Partido Socialista anda há anos a alimentar a ala “nunosantista”, liderada por esse “ex – jovem turco”, atual ministro das infraestruturas, Pedro Nuno Santos. Ora, desde que é ministro, que este procura constantemente afirmar-se no seio governativo, na máquina socialista e no país. Porque o seu foco é só um: ocupar o lugar de António Costa na liderança do PS. Esta semana o senhor ministro voltou a brindar-nos com mais um episódio desta sua saga de protagonismo que, como já nos vem habituando, resvalou para o autoritarismo. O “número” que fez com o CEO da Ryanair, mais do que revelador das suas tendências autocráticas e estatizantes, demonstra o desrespeito que tem perante as instituições, a separação de poderes e a liberdade de iniciativa económica. Vejam só, o CEO da companhia irlandesa cometeu a blasfémia de emitir a sua opinião sobre a estratégia de apoio à TAP que o governo definiu e, vejam só, fez uso dos mais elementares direitos, em qualquer espaço democrático, que foi recorrer às instâncias judiciais para fazer valer as suas pretensões. A atitude do senhor ministro é digna de um qualquer regime pouco democrático e, para além de desprestigiar Portugal, prejudica efetivamente o país, já que passa para fora a mensagem de que os investidores, neste caso os estrangeiros, são cá hostilizados e humilhados. São também este tipo de atitudes de quem está no poder que alimentam o descontentamento dos cidadãos e crescimento de fenómenos populistas e radicais.

Nota 16 – STARTUP Pombal: A Freguesia de Pombal, através da sua Comissão Social, em conjunto com várias entidades, lançou recentemente a “STARTUP Pombal – Prémio Local de Incentivo ao Empreendedorismo”. Uma iniciativa de louvar, que pretende estimular a criatividade, a inovação e a criação de novas ideias de negócio, ferramentas que cada vez devem ser mais valorizadas, porque é aí que começa a criação de valor e de riqueza, tão necessária à nossa economia e ao nosso país. Este projeto tem ainda a mais-valia de ser dirigido a pessoas com 14 ou mais anos, refletindo a importância de se estimular o espírito empreendedor também nas gerações mais novas. Julgo, que mais importante do que os eventuais prémios a atribuir aos participantes / vencedores é o facto de se colocar esta temática na agenda pública, bem como a possibilidade que é dada aos participantes de acederem a uma fase de “mentoring” e dinamizarem as suas competências e o seu “networking”.

Nota 19 – D. Lurdes Graça | Manjar do Marquês: O icónico restaurante pombalense “O Manjar do Marquês” voltou a ser notícia pelas melhores razões, porque a sua fundadora, D. Lurdes Graça, foi distinguida com o prémio “Carreira” do guia “Boa Cama Boa Mesa” para o ano 2021. Um prémio mais do que justo e merecido, porque o sucesso desta “casa” deve-se muito à sua figura matriarcal, que apesar das muitas primaveras vividas, continua a dedicar-se se corpo e alma ao seu restaurante e à confeção do arroz de tomate e de todas as iguarias que o acompanham (que todos nós muito apreciamos). Para além de contribuir muito para a afirmação da “marca” de Pombal no contexto nacional, a família Graça tem dado o seu contínuo e inestimável apoio às forças vivas pombalenses, dando corpo à “responsabilidade social empresarial” muito antes disso estar na agenda do nosso tecido empresarial. Longa vida à D. Lurdes e ao “O Manjar do Marquês”!

João Antunes dos Santos | Advogado | Deputado Municipal PSD e Presidente JSD Distrital Leiria
joao@antunesdossantos.pt