Está a chegar ao Carriço a primeira edição do Festival do Bacalhau

0
909

A festa anual da Associação Cultural, Recreativa e Desportiva da Freguesia de Carriço (ACRDFC) tem este ano um sabor especial. O programa delineado para os dias 1 e 2 de Julho junta tradição, expositores de artesanato, desporto, música e gastronomia. O objectivo é oferecer diversidade e trazer ao recinto dos festejos diferentes gerações.
Do muito que há para ver, ouvir e saborear durante o fim-de-semana em que a colectividade celebra também o 46º aniversário, o grande destaque vai para a primeira edição do Festival do Bacalhau, a partir das 12h30 de domingo.

Numa freguesia que orgulhosamente ostenta a praia do Osso da Baleia como cartão-de-visita, a direcção da colectividade diz que a escolha de um peixe para dar as boas-vindas ao festival era inevitável.

O bacalhau faz as honras de todos os pratos, a começar pelas entradas, onde os pastéis de bacalhau e o patê de bacalhau começam por abrir o apetite aos comensais. Segue-se o prato principal e, aí, há inúmeras opções. O difícil vai ser mesmo escolher entre o Bacalhau à ACRDFC, o Bacalhau com Natas, o Bacalhau à Gomes de Sá, o Bacalhau à Brás e a Feijoada de Sames. Para evitar perder o lugar à mesa, o melhor mesmo é reservar e, para isso, estão disponíveis os contactos 917 879 962, 965394 067 e 934 900 405.
A ideia da direcção presidida por Hugo Santos é não parar por aqui e, ao longo do ano, realizar outros festivais, com outras especialidades, envolvendo as colectividades da freguesia nessa dinâmica.
Mas não é apenas no domingo que o restaurante da festa funciona. O serviço está disponível logo no sábado, a partir das 20h00, ainda que o Festival do Bacalhau decorra apenas no domingo.

Continuidade e renovação
Eleito no dia 18 de Março, Hugo Santos sucede a António Carreira na presidência da Associação do Carriço. Com ele estão nomes dos anteriores corpos sociais, mas também caras novas. Uma equipa que congrega diferentes gerações, com elementos dos 26 aos 65 anos. O objectivo é “dar continuidade ao que tem vindo a ser feito”, mas também “renovar, inovar com outros trabalhos e outras actividades”, revela o dirigente.
A festa dos dias 1 e 2 de Julho é o evento de maior dimensão da nova equipa e coincide, também, com o 46º aniversário da colectividade. Para esta data, Hugo Santos diz que a “maior e melhor prenda que esta associação pode receber é acolher todos os sócios, simpatizantes e pessoas da freguesia e concelho” da melhor forma.
Para além desta festa, há outras iniciativas já agendadas no plano de actividades. A ACRDFC será, este ano, a representante do Carriço nas Tasquinhas de Pombal e para o dia 11 de Novembro tem previsto mais um Festival de Sopas, “que tem sido um sucesso, ano após ano”. A colectividade espera, ainda, realizar uma Noite Dançante, em Setembro, retomar a Noite de Fados, em Outubro, organizar um Baile das Bruxas, a 31 de Outubro, e um Festival do Acordeão, a 2 de Dezembro.
Para levar por diante aquilo a que se propõem, Hugo Santos e a sua equipa não esquecem algumas necessidades. Entre elas estão equipamentos de apoio à cozinha, mas urgem também obras nos sanitários da colectividade. Hugo Santos diz ainda que o pavilhão oferece “algumas condições”, mas assume que estas são “insuficientes” para a realização de “eventos ou qualquer actividade desportiva”.
Para além das iniciativas calendarizadas, a associação tem actividades a um ritmo quase diário, com aulas de dança de salão, aulas de pilates e brevemente também aulas de zumba.

 

Aníbal Dias, Ana Teresa Carreira e Hugo Santos (em baixo); Elisabete marques e Ana Cristina Cardoso (ao centro); telmo Sousa e Samuel Agostinho (em cima) integram os corpos sociais

O percurso do novo presidente
Hugo Santos não é propriamente um estreante na ligação à colectividade. Já em 2008, com apenas 18 anos, foi secretário da direcção presidida por Carlos Sintra, cargo que exerceu durante dois mandatos. Em Abril de 2012, foi eleito para a mesma função, agora com Ricardo Pinto na presidência. Regressa aos órgãos sociais em 2019, como vogal da direcção liderada por António Carreira. Em 2021, a colectividade passa a ser gerida por uma comissão de gestão, da qual Hugo Santos fez parte, situação que se prolongou até 2022, devido à pandemia. Já este ano, e atendendo a que “havia elementos que gostavam de continuar e nenhum de nós queria ver esta casa de portas fechadas, conseguimos unir 17 pessoas”, pelo que “tomei a iniciativa de assumir e criar uma lista”, conta Hugo Santos.

Corpos sociais
A Assembleia é composta por Ricardo Pinto (presidente), Jorge Delgado (vice-presidente) e Filomena Rolo (secretário). Integram a direcção Hugo Santos (presidente), Aníbal Dias (vice-presidente), Ana Cristina Cardoso (secretário), Ana Teresa Carreira (tesoureiro), Telmo Sousa , Sílvia Marques, João Fernandes, Dionísio Agostinho, Samuel Agostinho, Isabel Oliveira e Jorge Marques, todos vogais. Para o Conselho Fiscal foram eleitos Carlos Neves (presidente), Elisabete Marques (vice-presidente) e Pedro Jordão (secretário).

*Notícia publicada na edição impressa de 15 de Junho