Escuteiros de Carnide “em busca da Atlântida perdida”

0
544

Para comemorar o seu 25º aniversário, o Agrupamento de Escuteiros de Carnide vai realizar a actividade “Em busca da Atlântida perdida” na ilha de São Miguel, nos Açores. O projecto, que conta com o apoio do município, irá decorrer entre os dias 26 e 31 deste mês, tem como objectivo proporcionar aos jovens “vivências diferentes, descobrir e explorar uma pérola no meio do Atlântico.”
Dirigida aos Exploradores (jovens entre os 10 e os 14 anos de idade) e aos Pioneiros (jovens entre os 14 e os 18 anos), o projecto contará com um total de 26 jovens, acompanhados por cinco dirigentes.
Com aquele projecto, os jovens “irão vivenciar o espírito de equipa e entreajuda; fortalecer laços de amizade; pôr à prova as capacidades de orientação, cozinha selvagem e de cifras; descobrir os encantos, as riquezas e as pessoas de S. Miguel”, refere o Agrupamento.
Para a preparação do projecto, o grupo chefiado por Isaura Pedrosa definiu um conjunto de comissões, nas quais os jovens adquirem experiência e capacidade de tomadas de decisão, sendo o seu papel fulcral para que sejam atingidos os respectivos objectivos. Daí que os escuteiros tenham sido distribuídos pelas comissões de Secretariado e Animação; Financeira; Logística; e, Saúde.
“É nesta procura por Atlântida que somos chamados a descobrir quais os valores que são fundamentais na nossa vida e quais são os nossos escolhos, aprender a fazer essa distinção para que no decorrer da vida consigamos manter a nossa ilha sempre à superfície”, considera o Agrupamento, acrescentando que “conseguindo transmitir este ensinamento através desta actividade e ao longo dos 25 anos que se passaram, tem sido o grande objectivo do nosso Agrupamento.”
O projecto está orçamentado em 6.700 euros, quase na sua totalidade suportado pelas receitas pelas diversas actividades de angariação de fundos realizadas pelos próprios escuteiros. Na sua última reunião, a Câmara de Pombal deliberou atribuir um apoio financeiro de 1.000 euros.