EM LUME BRANDO | E depois do Natal? Vem a Páscoa

0
224

Agora que terminou a época festiva de Natal e passagem de ano, podemos regressar à programação habitual? Mas atenção, que daqui a nada está aí a Páscoa, e depois as Bolas de Berlim na praia, e as castanhas no São Martinho, e o Natal e a Passagem de ano, outra vez!
E que tal começar a pensar na alimentação para além de algo que engorda ou emagrece? Porque não normalizar a relação com a comida? E que tal não criar restrições, mas sim reservar para os dias especiais aqueles alimentos mais calóricos e que toda a gente já sabe que não convém que sejam ingeridos todos os dias. Vá, eu relembro quais são: alimentos ricos em açúcar, gordura e sal. Quer exemplos? Então, cá vai: Croissants, folhados, bolos e biscoitos açucarados, refrigerantes, enchidos, fumados, etc. Por outro lado, deverá dar primazia diária aos alimentos que são mais ricos nutricionalmente e menos calóricos, como alimentos ricos em fibra, fruta, legumes/vegetais, lacticínios magros, etc.
Permita-se a gostar e a ter prazer no ato de comer, mas experimente controlar as quantidades do que come ao invés de restringir alimentos. Verifique se diminuíram as compulsões alimentos e se o peso já desceu, entretanto.
Não esquecer que não há milagres e que para emagrecer necessita de criar défice calórico (gastar mais calorias do que as que ingere), portanto, ficar no sofá depois do jantar a comer aquele pacote de bolachas ou batatas fritas não será a melhor opção caso pretenda diminuir o peso.
Mexa-se sempre que possível, evite o elevador, utilize as escadas. Introduza a sopa no início de cada refeição principal; complete metade do prato principal com legumes e vegetais (varie o tipo de verduras) e reduza as quantidades de hidratos de carbono (não necessita de eliminar); confecione os alimentos com pouca gordura, controle as quantidades dos alimentos ingeridos ao longo do dia. Tenha paciência. Aguarde uma semana. Tenha paciência. Aguarde duas semanas e já deverá conseguir ver resultados na roupa e na balança.
Não dê as desculpas do Natal e da passagem de ano. Assuma que gosta de comer e que é um ato de grande prazer, que o é! Não sinta culpa por gostar de comer! Deguste os alimentos com calma e tranquilidade e não repita a comida no prato. Foi a um casamento e comeu um rissol. Tudo bem! Gostou?! Ótimo! Não convém é comer mais dois ou três. Mais uma vez, não crie restrições, mas sim uma relação positiva com a alimentação e tenha, sim, cuidado com as quantidades ingeridas.
Daqui a nada está aí a Páscoa e poderá comer tudo o que tem de direito na Páscoa, mas não necessita de comer um pacote inteiro de amêndoas ou três fatias de folar, não é verdade?
Voltamos a falar para o mês que vem!

Para sugestões de temas ou comentários ao artigo, envie um email para o seguinte endereço: joanagante@gmail.com

Joana Gante
Nutricionista
CP 3640N
https://www.facebook.com/joanagante.nutricao/
https://instagram.com/joanagante

Partilhar
Artigo anteriorMulher detida por suspeita de tráfico de estupefacientes
Próximo artigoAmândio Santos: “Sozinhos podemos ir mais rápido, mas juntos chegamos mais longe”
Joana Gante nasceu em Coimbra em 1984. Licenciou-se em Jornalismo pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra em 2008, e em Dietética pela Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Leiria em 2016. Pós-graduou-se em Nutrição em Pediatria pela Universidade Católica de Lisboa em 2018. Tem feito diversas formações, nomeadamente em Nutrição avançada no Desporto; Alimentação Vegetariana; Alimentação na Pessoa Idosa, entre outras. Exerce funções enquanto Nutricionista na Associação Cultural Desportiva e de Solidariedade da Freguesia da Vinha da Rainha e em diversas clínicas.