O jovem pombalense Duarte Carolino acaba de se sagrar campeão nacional de Rugby pela equipa sub-18 do Clube de Futebol “Os Belenenses”. Com uma carreira de sucesso pela frente, o atleta admite ter “um caminho a percorrer”.


A equipa sub-18 de Rugby do Clube de Futebol “Os Belenenses” acaba de se sagrar campeã nacional, onde Duarte Carolino deu um brilhante contributo. O jovem pombalense entrou na modalidade há sete anos, “logo no Belenenses, clube que nunca mais larguei até aos dias de hoje e que decididamente ainda tem tanto para me oferecer, assim como eu também tenho muito que oferecer ao clube”, revela.
E se inicialmente aquele desporto podia ser apenas um hobbie, actualmente “o rugby já é mais para mim do que um mero significado, já é mais como um estado de espírito, de liberdade, uma escapatória para a minha cabeça”, confessa o jovem, enquanto admite que é possível “chegar longe com o meu trabalho e esforço”, sendo que “o importante será focar-me nos objectivos que vou traçando para o meu futuro”. Para já, “ passam muito por conseguir um lugar entre aqueles que vão sendo observados para a selecção nacional”, assim como “conquistar mais títulos para o meu clube e evoluir como enquanto jogador e pessoa”.
Para esta vitória, Duarte Carolino, olha de “uma forma positiva”, e de uma maneira capaz de o “motivar para continuar com o meu trabalho, visto que todo o meu historial me mostra que o meu trabalho dá frutos se me esforçar e dedicar ao que gosto”.
Obviamente que para se atingir um patamar de excelência, é necessária muita dedicação e esforço para que os resultados sejam os mais positivos, e nesse aspecto, o atleta aponta “o acompanhamento feito pela equipa técnica” como uma “parte essencial destes resultados”. O constante envolvimento nas actividades como equipa “é fundamental para nos deixar com uma preparação física e mental” capaz de “enfrentar os desafios que nos são postos regularmente”, e se todas as componentes “forem bem assimilados por nós, é mais que natural que os resultados apareçam”, parece que é o caso!
Quanto ao trofeu que acaba de levantar, Duarte admite “sinceramente” que já o esperava, “mas muito porque eu jogo sempre para um objectivo: ganhar!”, revela, “aponto sempre para o patamar mais a cima, porque penso que assim consigo ir buscar sempre o melhor de mim e olho os adversários sempre de igual modo, com respeito mas como “objectivos” a serem ultrapassados”. E desta forma confessa que “foi uma sensação da qual eu nunca me irei fartar, com certeza!” Afinal é “de um orgulho e de um sentimento muito nobre, saber que o nosso esforço de tantas semanas, meses, deu finalmente os seus resultados”. Melhor não se podia pedir.
Com os resultados positivos que tem vindo a alcançar, o jovem pombalense recorda com emoção a “minha primeira convocatória para um treino da Selecção Nacional: foi algo que me apanhou de surpresa e que me deixou num estado de alegria tremenda”, afinal “era um dos meus maiores sonhos, estar não só entre os melhores mas também estar na Selecção, e essa convocatória mostrou-me que tenho um caminho a percorrer para chegar a esse patamar de sonho que é a Selecção Nacional”. Um caminho que Duarte Carolino anda a trilhar.