Diogo Mateus pouco expectante quanto ao próximo executivo municipal

0
372

O ainda presidente da Câmara Municipal teme que a falta de experiência de gestão autárquica do próximo executivo possa ser desfavorável para a governação dos próximos quatro anos. A socialista Odete Alves é a única vereadora que se mantém no próximo executivo, que toma posse este domingo. Todos os restantes elementos são estreantes, incluindo Pedro Pimpão que tem uma curta experiência enquanto vereador.
“Nós temos muita experiência, muita capacidade de trabalho, muita organização, muito conhecimento do concelho e muito trabalho demonstrado”, sublinhou Diogo Mateus, frisando que ainda assim “há coisas que não correm bem”.
Esta experiência e conhecimento contrastam com a do próximo executivo, que “pela primeira vez não tem uma pessoa, com excepção da vereadora Odete Alves, que tenha experiência de estar aqui sentado”. Pedro Pimpão foi “vereador nove meses”.
Esta é uma situação “inédita” que “nunca o concelho de Pombal viveu”, reiterou o autarca, recordando que nenhum outro presidente de Câmara Municipal de Pombal rompeu desta forma com o passado. Até agora todos os executivos foram mantendo algumas pessoas, reconhecendo “o conhecimento, a experiência que existe de anos de trabalho e o estudo de dossiers que nos ensina a todos”.
Ao novo executivo faltam “estes factores de segurança e muita confiança para trabalhar”, lamenta o autarca, admitindo que “sentir que essa capacitação foi importante”. Independentemente disso, “esperamos que tudo corra da melhor maneira possível”, concluiu o autarca.

ANÁLISE AOS RESULTADOS ELEITORAIS

O presidente da autarquia fez ainda uma breve análise aos resultados eleitorais, revelando que “ganharam todos os presidentes de Junta que achava que iam ganhar” e destacando a “saída da esquerda mais radical que tínhamos no concelho da Assembleia Municipal”. Já o PSD reforçou a votação de forma pouco significativa.
Relativamente ao número de votos obtido por cada partido, Diogo Mateus constatou que “dos 8.088 votos que o movimento Narciso Mota Pombal Humano [NMPH] e o CDS-PP obtiveram há quatro anos atrás”, o PSD só “conseguiu 1.800 para a Câmara”, quase tantos quantos a Iniciativa Liberal e o Chega tiveram: 1500 votos. Por sua vez, Odete Alves conseguiu aumentar em “57% o resultado que o PS teve” em 2017.
O autarca comparou igualmente o resultado do PSD nas eleições de 2013 (quando se candidatou pela primeira vez como presidente de Câmara) e 2021, verificando que este ano o partido teve “apenas 500 votos a mais dos que tive em 2013”.
Já para a Assembleia Municipal, mais uma vez sem o movimento NMPH, Paulo Mota Pinto “conseguiu ter um resultado de 268 votos superior à nossa Fernanda Guardado”.
Para Diogo Mateus, os resultados destas autárquicas são reflexo, não só do “trabalho do PSD”, mas também “dos compromissos que foram cumpridos no mandato que termina”.

Carina Gonçalves | Jornalista

*Notícia publicada na edição impressa de 14 de Outubro