CARTAS POMBALINAS | 30 anos a reforçar a raiz da democracia

0
182

Vivemos esta semana um momento muito especial porque se assinalam 30 anos da fundação da ANAFRE – Associação Nacional de Freguesias, criada institucionalmente no dia 11 de fevereiro de 1989, por intermédio de escritura pública realizada na freguesia da Benedita, no nosso distrito de Leiria.
A nossa região e as nossas populações passaram a assumir, desde então, um papel de liderança e reconhecimento da importância do trabalho de proximidade desenvolvido por tantos milhares de cidadãos ao longo destas décadas.
Na nossa região, personalidades (que tive a oportunidade de conhecer pessoalmente) como Gonçalves Sapinho, Vasco Oliveira, Luís Castelhano e tantos outros autarcas – que estiveram na origem e consolidação desta relevante instituição de âmbito nacional – merecem o nosso eterno reconhecimento.
Também em Pombal, por todas as freguesias, temos grandes exemplos de dezenas de homens e mulheres que deram muito de si em prol de cada uma das nossas comunidades. Pessoas que marcaram o desenvolvimento integrado da nossa comunidade e contribuíram de forma decisiva para a coesão social e territorial do nosso concelho.
Chegados aqui, três décadas volvidas, esta é uma boa altura para avaliarmos o papel que as freguesias desempenham na sociedade portuguesa, mas sobretudo para lançar as bases para as próximas décadas, onde as autarquias devem assumir uma nova proeminência nas mudanças positivas que devem ser empreendidas na nossa sociedade.
Nesta avaliação, mais do que nos deixarmos ficar pelos diagnósticos, urge lançarmos as ideias de futuro que nos farão liderar uma nova agenda de afirmação das autarquias locais em pleno séc. XXI.
Para além das questões relacionadas com o que tem sido o meritório papel das autarquias locais na infraestruturação do nosso território, estamos a entrar – a uma velocidade estonteante – numa nova era onde se colocam novos desafios que não se coadunam com as típicas soluções burocrático-administrativas… exigindo, pelo contrário, novas abordagens e uma atitude positiva de abertura, assente cada vez mais na cooperação e na inovação!
Matérias relacionadas com a revolução tecnológica, a transição energética, a sociedade digital, a encomia 4.0, a mobilidade sustentável ou o desenvolvimento pessoal e bem-estar (físico e psíquico) devem ser desafios a enfrentar com firmeza e determinação, mudando o paradigma do “poder” autárquico que deve ter uma abordagem inovadora cada vez mais centrada na promoção da felicidade das pessoas que escolhem a nossa terra para viver, trabalhar ou, simplesmente, para nos visitar.
30 anos da ANAFRE serviram para afirmar este importante patamar de ligação das pessoas às instituições públicas, numa relação de confiança e genuína cumplicidade que faz com que os cidadãos reconheçam nos seus autarcas de freguesia, fortes aliados nesta missão coletiva de melhorarmos de forma positiva a comunidade que escolhemos para implementarmos os nossos projetos de vida.
Que o caminho a seguir seja de mobilização e de plena realização pessoal e coletiva!

Um forte abraço amigo,
Pedro Pimpão
pedropimpao@gmail.com

*Artigo publicado na edição impressa de 14 de Fevereiro

Partilhar
Artigo anteriorN(A) ESCOLA DA VIDA | Tempos de afeto
Próximo artigoO PERFUME DA SERPENTÁRIA | Red Light District da Praça da Constituição*
Pedro Pimpão é natural de Pombal, tem 36 anos, é casado e tem dois filhos. É advogado de profissão e actualmente desempenha as funções de deputado à Assembleia da República, tendo sido eleito pelo círculo eleitoral de Leiria. É Presidente da Assembleia de Freguesia de Pombal, membro da Assembleia Municipal de Pombal e membro da Assembleia Intermunicipal da Região de Leiria. É licenciado em Direito pela Universidade Coimbra, contando com Pós-Graduações em Direito Administrativo, Gestão Autárquica, Direito dos Contratos Públicos e Direito Municipal Comparado Lusófono. É Mestrando em Ciência Política pelo ISCSP – Universidade de Lisboa.