Carriço retoma tradições com “Recriação da Feira dos 7”

0
415
“Recriação da Feira dos 7” retoma tradições a 4 e 5 de Maio, no Carriço

Etnografia, petiscos regionais, e actividades culturais estão a ser preparados para a quarta edição da ‘Recriação da Feira dos 7”, promovido pela Junta do Carriço, e em colaboração com as colectividades e associações da freguesia. O evento tem como objectivo recordar, e reviver, “tradições antigas”.

Com o objectivo de recordar um dos eventos mais queridos da freguesia, a Junta do Carriço está a organizar a quarta edição da “Recriação da Feira dos 7”, que irá decorrer a 4 e 5 de Maio, no Pavilhão da Associação Cultural Recreativa e Desportiva da Freguesia (ACRDF) do Carriço.
Segundo a organização, a cargo do executivo do Carriço, este “evento é uma forma de recriar tradições antigas”, sendo que “nestes últimos três anos sentimos que a população se identifica e gosta de visitar o evento e de certa forma reviver tempos antigos”, revela, sendo que “é nossa pretensão que este evento ganhe, ano após ano, uma maior amplitude e que realmente se sinta o impacto positivo na região”. O executivo adianta que “a freguesia que não tinha um evento com esta grandeza, onde se consegue juntar todas as colectividades e instituições, e consegue abranger público de todas as idades”, afinal “é sempre importante manter vivas as memórias e tradições antigas, até porque sentimos necessidade de mostrar aos mais novos como se viveu e como se fazia” antigamente.
Segundo o presidente da Junta, Pedro Silva, as novidades passam pela “diversidade de feirantes a animação durante todo o evento”, que conta com a actuação dos alunos de várias escolas de dança e música do concelho, durante a tarde e sábado, 4 de Maio, de onde se destaca o Grupo de Cantares, e de Dança, da ACRM se Silveirinha Grande e Claras, ‘Paripasso’ – Projecto Social Sénior da Junta de Freguesia do Carriço, ou a Fabrikarts – Escola de Dança e Artes Integradas. A noite termina com um animado baile, a cargo de ‘Banda Celta’.
Para o dia seguinte, 5 de Maio, a manhã está reservada para um momento de animação, com ‘Terra Velhinha’ e a tarde será animada pelo folclore e etnografia dos Ranchos Folclóricos ‘Boa Esperança’, de Alhais, ‘As Ligeirinhas”, de Antões, pelo Racho Típico de Pombal e termina ao som dos ‘Cajados de Litém, de São Simão de Litém. Os visitantes têm ainda oportunidade de provar as iguarias da região, uma vez que “durante o programa haverá barraquinhas de gostos e sabores”.
Os petiscos e bebidas estão a cargo das associações e colectividades da freguesia, que, segundo o edil “são muito importantes para a vida social da nossa Freguesia, e que têm um papel importante nas várias actividades anuais”, portanto “integra-las num evento como este é uma forma de ajudar a demonstrar que todos unidos podemos fazer um evento que eleve o bom nome da nossa Freguesia” mais longe.
O autarca garante que o evento “se destina a todas as idades: os mais idosos para reviver e mostrar como se fazia, e os mais novos aprendem, para manter a tradição”, e não esquece “os nossos queridos emigrantes, que mesmo não estando presentes”, aproveitam a boleia da internet, com a partilha de vídeos e fotografias do certame, que permitem “reviver memórias e de certa forma “matar saudades” da sua aldeia”, remata, garantindo que o executivo está empenhado em “dar continuidade” ao evento.