As expectativas são altas e, a julgar pelo dia de abertura, o sucesso está garantido. A ‘Cannabis Store Amsterdam Pombal’ já abriu portas, no Edifício Arunca, na Rua Quinta da Cerca, e tem mais de duas centenas de produtos disponíveis feitos à base de canabidiol (CBD).

Chupas, chocolates, vinho, café, produtos de cosmética, bolachas e refrigerantes, são alguns dos produtos que vai encontrar na Cannabis Store Amsterdam Pombal. São todos feitos à base de cannabis, mas é tudo legal. Os produtos com mais saída são os chás, os óleos, chupas e bolachas, referem Filipe e Maria Gonçalves, proprietários do espaço. “Os clientes costumam perguntar se tudo é legal. Explicamos sempre que estes artigos são feitos à base de CBD e sem THC (tetra-hidrocanabinol) ou vestígios”, explica Maria Gonçalves, enquanto admite que “é nossa função alterar mentalidades e mostrar que o CBD e a cannabis são o futuro do Mundo”.
O CBD é uma das 113 substâncias da erva, mas não cria efeitos alucinogénios. “Ainda assim, fiquei surpreendida por haver tanta gente tão bem informada e interessada nos nossos produtos”, conta a responsável, referindo-se ao dia da inauguração do espaço, que oferece também um vasto leque de merchandising, registado a 12 de Outubro. A festa contou com a presença de muitos amigos e curiosos. Segundo Maria Gonçalves, “correu acima das expectativas”, afinal, “as pessoas estão muito abertas a este tipo de produtos”.
A responsável considera que a cannabis será legalizada num futuro próximo e que a abertura deste tipo de lojas já está a pensar nessa legalização. “Sem dúvida que, mais cedo ou mais tarde, a cannabis será legalizada, é para aí que caminhamos. A nossa ideia foi quando isso acontecer, já estarmos na linha da frente”, destaca.
Em Portugal já existem sete Cannabis Store Amsterdam, no entanto, a cadeia italiana espera inaugurar mais 18 lojas nos próximos cinco meses, sendo que já conta com mais de 200 espaços em todo o mundo.
Filipe Gonçalves é pombalense, Maria Gonçalves tem raízes em Viseu, embora tenham vivido grande parte da sua vida em França. Quando decidiram regressar ao país Natal, não surgiram dúvidas: “adoro a minha terra e tenho muito orgulho nas minhas raízes, no entanto, sempre disse que para viver preferia Pombal”, conta a empresária, justificando a escolha da localização para se fixar com a família e investir num negócio próprio. Regressar a Portugal não era uma ideia nova, faltava apenas uma motivação para o fazer.
Maria Gonçalves começou a interessar-se pela temática depois de “ler bastante e de começar a perceber os benefícios da cannabis”. A ideia de abrir um franchise foi discutida em família, que achou ‘magnifique’.

CURIOSIDADES:

OMS recomenda à ONU a reclassificação da cannabis

Em Janeiro deste ano, o comité de peritos da Organização Mundial de Saúde (OMS) escreveu a António Guterres, secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), onde propôs tirar a cannabis da tabela das drogas mais perigosas na convenção de 1961 da ONU. No entanto os comissários da ONU que compõem a OMS decidiram adiar a sentença por um ano. Portanto, em março de 2020 os peritos estarão reunidos novamente para avaliar se mudam ou não o status dos derivados mais conhecidos.

Benefícios científicos da cannabis

Demonizada durante anos, afinal a cannabis parece ter vários benefícios para a saúde que a maioria de nós desconhecia. Alguns países já a vendem em farmácias com finalidade terapêutica e outros – como o Canadá e Uruguai – já a legalizaram para fins recreativos. Segundo Susan White, autora do livro, “O Uso Medicinal da Cannabis” existem vários estudos científicos que comprovam os seus benefícios:

• Uma meta-análise baseada em 10 mil estudos, publicada em Janeiro de 2017 pela Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina, dos Estados Unidos, mostrou que a cannabis pode ter benefícios terapêuticos em pacientes que estejam a realizar quimioterapia, diminuindo os efeitos secundários deste tratamento oncológico.

• O Instituto Nacional para o Abuso de Drogas (Nida) dos Estados Unidos publicou um relatório em que admite o potencial da cannabis no combate das células cancerígenas. O documento cita a investigação de Wai Liu, da Universidade de Londres, que mostra que o uso de canabidiol (CBD) e tetrahidrocanabinol (THC) – duas substâncias canabinoides presentes na cannabis – inibem o glioma, um tipo de cancro cerebral.

• O extracto de cannabis atenua a rigidez muscular em pacientes afectados por esclerose múltipla, revela um estudo publicado no Journal of Neurology, Neurosurgery and Psychiatry.