Câmara quer proteger segurança de empresa devoluta

0
462

Os actuais proprietários das instalações de uma antiga indústria localizada na zona industrial da Formiga vão ter de proceder a trabalhos de limpeza e protecção do edifício por determinação da Câmara Municipal de Pombal. Trata-se de uma deliberação, aprovada na última reunião do executivo, após uma vistoria técnica ao respectivo imóvel.

Em causa estão as instalações da antiga empresa Azupal – Azulejos Castelos de Pombal, Lda., que entrou em processo de insolvência há vários anos. Trata-se de uma das primeiras indústrias que deram origem à edificação da zona industrial da Formiga, ocupando uma área de 30 mil metros quadrados, e que iniciou a sua laboração em 1974, por iniciativa dos pombalenses Manuel da Mota e Francisco Menezes Falcão e do meirinhense Adelino Duarte da Mota.
Tendo em conta o estado devoluto em que se encontram as antigas instalações fabris, com sinais de vandalismo e furtos, a autarquia irá notificar os proprietários para realizarem, no prazo de 180 dias, “trabalhos imprescindíveis” de limpeza e corte de vegetação, bem como outras medidas de segurança adequadas para impedir a “utilização indevida” do imóvel.
Na mesma reunião, o executivo liderado por Diogo Mateus, deliberou, ainda, notificar os proprietários de outros imóveis para procederem à sua demolição total, tendo em conta o estado de degradação e ruína em que se encontram. Os referidos edifícios estão localizados na localidade de Chaveiro (Matos da Ranha), freguesia de Vermoil, e Gonçalvinho, freguesia de Vila Cã.

*Notícia publicada na edição impressa de 19 de Março

Partilhar
Artigo anteriorMorreu terceiro utente do Lar da Cumieira com Covid-19
Próximo artigoO PERFUME DA SERPENTÁRIA | A analogia*
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.