Bússola: a academia educativa que vê “o aluno como um todo”

0
1207

O conceito de centro de explicações pode já estar enraizado no seio das comunidades escolares e explicá-lo até poderia ser uma tarefa relativamente simples. No entanto, a Bússola – Academia Educativa, fundada em Outubro deste ano, pretende “desenvolver um projecto diferenciador, assente num ensino personalizado, de forma a potenciar o sucesso escolar e pessoal dos alunos, sempre em estreita cooperação com os pais e encarregados da educação”, explica Graciosa Gonçalves, mentora do projecto.

Paulo Jorge e Graciosa Gonçalves são os mentores do novo projecto educativo

Professora da disciplina de Português “há 28 anos”, Graciosa Gonçalves revela que “ao longo dos anos fui-me apercebendo de uma lacuna” existente no seio das comunidades escolares, e que tem que ver com “a formação de pais e encarregados de educação”. Por isso, a docente revela que esse vai ser um dos pontos diferenciadores do projecto, já que “é fundamental ajudar a tomar consciência” da importância de “trabalhar temáticas que se focam na compreensão de emoções”. Para isso, A Bússola ‘inspira-se’ nos ensinamentos de Augusto Cury, médico psiquiatra, pesquisador e escritor, conhecido como o autor da “Teoria da Inteligência Multifocal, que analisa o processo de construção dos pensamentos”, revela.
Na linha destes pressupostos, para além do estudo acompanhado e das explicações a alunos de 1.º, 2.º e 3.º ciclo, dentro de todas as temáticas e disciplinas escolares, a Bússola – Academia Educativa reserva espaço para desenvolver outras actividades, como workshops e formações para adultos, ou o acompanhamento dos jovens por profissionais das áreas da nutrição, psicologia ou terapia da fala. Isto porque o “aluno é um todo: é uma pessoa e é um todo”, explica Graciosa Gonçalves, enquanto sublinha a importância de uma “alimentação equilibrada ou de um ritmo de sono saudável”, para que os mais novos atinjam um bom rendimento escolar. Neste contexto, a docente adverte que “a má alimentação interfere na concentração, atenção, capacidade de aprendizagem e memória” dos mais jovens, “assim como o défice de sono”, uma vez que “ficam acordados até muito, muito tarde”, especialmente “agarrados aos computadores e aos telemóveis”.
O espaço, localizado no 1.º andar do número 63, na Rua São João de Deus, mesmo ao lado do Restaurante Velha Caroca e nas traseiras do edifício sede do Agrupamento de Escolas de Pombal, tem ainda um segredo por revelar: um jardim enorme que vai permitir, na altura do bom tempo, a “realização de actividades ao ar livre, como acampamentos ou sessões de formação e workshops”. Um conjunto de estratégias e apostas enquadradas naquilo que são os objectivos do projecto, assentes na necessidade de “fomentar o desenvolvimento de uma parentalidade consciente, ancorada nos princípios da inteligência emocional, estimular o gosto pelo estudo e pelo conhecimento, adoptando estratégias pedagógicas cativantes”, assim como “estimular a criatividade na resolução de problemas, potenciar o pensamento crítico e promover a autonomia para o estudo”, para além de “preparar para as provas de avaliação e para os resultados escolares”, sintetiza Graciosa Gonçalves.