Bodo de Abiul: “O reencontro entre os Abiulenses que se encontram espalhados pelo Mundo”

0
710

A vila de Abiul vai estar em festa de 2 a 5 de Agosto, e a 11 e 14 do mesmo mês, para celebrar as tradicionais Festas do Bodo de Abiul, em honra de Nossa Senhora das Neves. A autarquia, presidida por Sandra Barros, pretende manter os usos e costumes do povo, através de um programa de actividades a reviver os tempos antigos.

O Bodo de Abiul devia ser um caso de estudo. Para além de dispensar qualquer apresentação, ainda consegue fazer com que os ‘assíduos’ contem os dias até que a festa comece. À partida não parece existir qualquer segredo, mas na verdade Sandra Barros, presidente da Junta, aponta para a “introdução de algumas novidades, como o festival de folclore infantil, a noite de fados, a dinamização do espaço junto ao Coreto com uma banda logo no dia da abertura dos festejos”, como sendo “factores que contribuíram de uma forma qualitativa para a atracção de mais visitantes”, e não esquece: “as corridas são também um importante foco de atracção, bem como a festa religiosa”, admite.
É habitual que todos os anos exista “alguma mudança” no que diz respeito ao formato dos festejos, no entanto, este ano o certame faz-se nos mesmos moldes a que os visitantes já estão habituados. No entanto, a autarca revela que para “este ano a principal novidade é a entrada dos touros a pé, na Praça”, evento que se “irá realizar no primeiro dia da Feira, ou seja, sábado, dia 3 de Agosto, pelas 18h”, antecedida de “uma garraiada com lugar na Praça Velha. Outra das “novidade é a alteração do horário da Corrida de Touros, de sábado, que se irá realizar ao início da noite, pelas 21:30h, e não ao final da tarde como tem sido habitual”, explica.
Para além de ser um tradição com algumas centenas de anos, a romaria “é uma promessa dos Abiulenses à padroeira da freguesia, Nossa Senhora das Neves”, desta forma, “as festas do Bodo são também um local de reencontros entre os Abiulenses que se encontram espalhados pelos quatro cantos do Mundo e que regressam às suas origens durante estes dias”, num “momento de partilha e convívio, onde se pretende promover o rico património histórico, a cultura e a boa gastronomia”, da freguesia, uma vez que a realização deste certame “assume um importante papel na promoção, nos usos e nos costumes da Freguesia”.
Sem esquecer que “Abiul tem a praça de touros mais antiga do País, com mais de cinco séculos de história, e onde o actual executivo da junta de freguesia tem tido um papel fundamental na promoção da festa”, Sandra Barros não esquece o programa das festas em honra de Nossa Senhora das Neves, e de onde se destaca a ‘Noite da Caipirinha’, agendada para esta sexta-feira, 2 de Agosto, ou a ‘Noite de Fados’, com a presença de José da Câmara, que se realiza na segunda-feira, 5 de Agosto. Para além da animação musical, das corridas de touros, durante estes dias, os visitantes têm ainda a oportunidade de provar algumas iguarias da região, conhecer o artesanato local e conhecer um pouco mais da história da Vila, através das mais várias actividades previstas para estes dias de festa.
É de relembrar que estas festas surgiram, segundo reza a tradição, na sequência da peste que atingiu a região em 1561/2. Ligada a estas festas estão indelevelmente as touradas. Por altura das festas, Nossa Senhora das Neves, padroeira da paróquia, fazia todos os anos um milagre. Num enorme forno onde se queimavam seis ou sete carradas de lenha, era metido um bolo de trigo de 110 a 120 quilos. Em seguida um homem entrava no forno, depois de confessado e comungado, dava a volta ao bolo e saia, sem lesões. Tudo se passava em frente da imagem da Virgem, colocada em frente ao forno. A tradição foi mantida até 1913.