Bodo das Castanhas cresce para trazer mais gente a Vermoil

0
1176

Vermoil volta a apostar no Bodo das Castanhas para promover o que a freguesia tem de melhor. Por isso, durante três dias convida fregueses e visitantes a saborear a gastronomia local e a usufruir de um vasto cartaz que inclui actividades de animação, cultura, desporto e astronomia.

Na edição deste ano, o recinto coberto tem uma área maior

O secular Bodo das Castanhas está de volta a Vermoil no fim-de-semana de 28 a 30 de Outubro, mas num formato alargado. A principal festa da freguesia cresceu em área e em investimento, mas repete o modelo dos anos anteriores. Tasquinhas, feira de frutos secos e artesanato, passeio de BTT, radiomodelismo, observação astronómica, caminhadas e espectáculos são os pontos fortes do evento, que conta com Toy e Chefe Duro e Seus Adversários como cabeças de cartaz.
“As novidades do evento são basicamente o aumento do recinto da festa”, que este ano se estende por uma “área total de 1.300 metros quadrados de tenda”, ou seja, “mais 400 metros quadrados” em relação ao ano passado, revelou o presidente da Junta de Freguesia.
Esta opção visa colmatar a “nítida falta de espaço” que houve no ano passado, explicou Daniel Ferreira, salientando que o aumento de área é também acompanhado por uma “alteração da disposição da tenda” que visa ganhar espaço. Assim, “as tasquinhas vão ficar mais ou menos na mesma posição”, mas “o palco vai ficar num dos lados, junto ao coreto da igreja”.
O aumento de área foi pensado para acolher o muito público que virá assistir aos “dois grandes concertos: um de Toy e outro de Chefe Duro e Seus Adversários”, mas também para garantir que a chuva, que tem sido presença assídua no evento, não “estraga” a festa. Afinal, “no ano passado tivemos a infelicidade de chover torrencialmente nos três dias do Bodo”, que mesmo assim atraiu “uma enchente de gente a Vermoil”, recorda o autarca.
Com ou sem chuva, certo é que o Bodo das Castanhas serão três dias de festa, cujo “principal objectivo é ajudar as associações a obterem rendimentos para fazer face às suas despesas ao longo do ano”. Para isso, “a Junta de Freguesia faz o investimento e as associações trabalham para angariar receitas”.
E as colectividades trabalham nas tasquinhas onde serão servidas as comidas mais tradicionais da freguesia. Este ano voltam a ser três tasquinhas gastronómicas, dinamizadas pela Filarmónica Vermoilense, o Atlético Clube de Vermoil e a Associação Desportiva da Ranha. Já a Associação de Amigos e Vizinhos de Matos da Ranha fica com a tasquinha das castanhas.
No certame há ainda espaço para as restantes colectividades da freguesia, onde estas poderão “fazer uma pequena mostra do seu trabalho ao longo do ano”, e para cerca de uma dezena de expositores da Associação de Artesãos de Pombal.
Presença obrigatória é obviamente a Feira de Frutos Secos, onde são esperados “perto de 100 expositores”, os quais voltam a ter um lugar de destaque. Afinal, num certame dedicado à castanha, faz todo o sentido “dar mais relevância aos frutos secos”.
De resto, o Bodo das Castanhas é em tudo semelhante à edição anterior. O cartaz volta a anunciar duas caminhadas, uma prova de radiomodelismo, um passeio de BTT e observações astronómicas (inscrições obrigatórias e limitadas 15 a 20 pessoas), cuja realização está dependente de haver céu estrelado.
A primeira caminhada (sábado às 15hh00) vai percorrer a “Rota das Ruínas da Telhada”, ao longo da qual se vai explicando a romanização de Vermoil. Já o segundo percurso pedestre (domingo às 10h00) vai palmilhar a “Rota João de Barros”, passando pelos pontos de referência da vida de João de Barros, que residiu e morreu em Vermoil. De referir que tanto as caminhadas como a observação arrancam do centro de Vermoil.

Carina Gonçalves | Jornalista