Ansianenses já plantaram 20 hectares de pinheiro manso

0
992

Pinhões, folclore, azeite, mel, música, queijo, desporto e associativismo são alguns dos ingredientes que compõem o segredo para o sucesso da Centenária Feira dos Pinhões, que se realiza este fim-de-semana, 25 e 26 de Janeiro, em Ansião. O evento apresenta-se como uma das tradições seculares do concelho e atrai anualmente milhares de visitantes à vila.

“A feira dos Pinhões remonta pelo menos ao século XVII. Nessa altura era uma feira franca, realizada anualmente a 24 de Janeiro, e onde era vendido o pinhão, um fruto seco muito frequente e proveniente dos pinhais da região”, explica António José Domingues, presidente da autarquia ansianense, enquanto revela que este ano são esperados cerca de “80 expositores”, entre os quais se destacam as tradicionais “vendedeiras” de pinhões, cujo preço, este ano, poderá ascender aos 100 euros por quilo, devido à falta de chuva e ao Verão quente, seco e prolongado, durante o fim de semana de 25 e 26 de Janeiro.
Tratando-se do ‘ouro branco’ da alimentação, o Município de Ansião, criou, em 2016, incentivos à plantação de pinheiro manso (Pinus pinea L.) na área municipal, como forma de impulsionar a produção de pinhão. Onde “todos os proprietários privados que queiram fazer plantação de pinheiro manso estarão isentos de taxas municipais relacionadas com autorizações ou preparação do terreno”, para além de outros apoios. Através deste programa, até à data “já registamos, no concelho, plantações de pinheiro manso numa área superior a 20 hectares”.
O autarca revela ter reunido “recentemente com a Associação de Produtores Florestais no sentido criar novas sinergias para a realização de acções de sensibilização sobre a importância de reflorestar os terrenos, e apostar em árvores como o pinheiro manso, o medronheiro, carvalho cerquinho, ou a oliveira”, espécies características da região. A iniciativa tem como objectivo “projectar o território de forma ordenada e limpa”, mas acima de tudo “queremos projectar um concelho imune a situações de fogo”

“Queremos projectar um concelho imune a situações de fogo”

“Há mais de um século que Ansião realiza a Feira dos Pinhões. Apesar disso, o concelho não tem produção de pinhão. Além de incentivar esta produção, é também uma forma de impulsionar os produtos endógenos ligados ao pinhão”, salienta o autarca, acrescentando que o pinheiro manso tem uma importância económica, em termos nacionais, “entre os 50 e os 70 milhões de euros anuais”. O autarca lamenta que “a agricultura seja sempre o parente pobre da economia”, e assume a “importância da valorização do território”.
“A produção e venda de pinhão tem para o concelho de Ansião importância histórica e cultural, consubstanciada pela realização da secular Feira dos Pinhões, que o Município tem projectado muito além das fronteiras do concelho”.
No espaço expositivo, os produtores locais apresentam aos visitantes produtos típicos como as compotas e licores de Sicó, os doces, o famoso queijo do Rabaçal, o vinho, mel e azeite das Terras de Sicó, bem como os enchidos, o artesanato e, claro, as famosas fiadas de pinhões que captam a atenção de quem visita a feira.
Aos aromas e sabores regionais junta-se um programa diversificado de animação cultural, que arranca logo na manhã de sábado (25), com uma arruada pelo grupo de gaiteiros ansianenses Ca’gaita, que desperta a vila anunciando o início das actividades. Para o início da tarde está reservada a sessão de abertura do evento, que acontece no Salão Nobre dos Paços do Concelho “com a presença do secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Carlos Miguel”, avança o autarca.
A animação prossegue com os Charanga Amigos da Rambóia e um momento de folclore com o Rancho Infantil das Serras de Ansião e o Rancho Folclórico Flores da Serra da Lagoa Parada, ambos do concelho de Ansião. A programação continua à noite no Centro Cultural de Ansião, onde o grupo de Teatro Vitrine de Fafe trará à cena a peça “Era uma vez no futuro”, que “marca o arranque das Jornadas Teatrais de 2020”, uma iniciativa cultural da autarquia que, pelo terceiro ano consecutivo traz a palco, no último sábado de cada mês, um espectáculo teatral.
As actividades de domingo (26) começam com desporto, e a animação da tarde fica a cargo da TVI, que mais uma vez emite o programa “Somos Portugal” a partir do recinto da Feira dos Pinhões. Para António José Domingues, a “presença deste canal televisivo na vila mostra além-fronteiras alguns dos ex-líbris do concelho”, como o seu corpo associativo, que marcará presença num desfile em directo.
Enfim, “uma das tradições seculares das gentes ansianenses” invade a vila sede de concelho, provando que a Centenária Feira dos Pinhões continua a ser “uma marca muito forte na identidade de um povo e de uma terra ricos em saberes ancestrais”, realça o autarca, reconhecendo a capacidade destas gentes em “preservar os seus mais ricos usos e costumes, muitos deles ligados à mãe natureza e aos valiosos recursos que ela oferece”.

Núcleo de Veteranos organiza baile solidário

Com a vila em festa durante dois dias, o Núcleo de Veteranos do Concelho de Ansião resolveu animar a noite de sábado (25), e desta forma está a organizar um baile solidário, que se realiza no Centro de Negócios de Ansião, localizado no Parque Empresarial do Camporês. Sobe o lema “Ajudar quem nos ajuda”, as receitas angariadas com a realização do evento revertem a favor dos Bombeiros Voluntários de Ansião. O baile fica a cargo da banda SóRitmo que promete aquecer a noite. Mais tarde a cabine de som é controlada pelo DJ RR. Só boas razões para aparecer!