ALVAIÁZERE | Festival do chícharo valoriza identidade do concelho

0
232

“Alvaiázere Capital do Chícharo”, que integra a Feira Agrícola, Florestal, Industrial, Pecuária e de Artesanato (FAFIPA) e o Festival Gastronómico do Chícharo, assume-se hoje como a “identidade” do concelho, com a presidente da Câmara a afirmar que o evento tem “vindo a conquistar cada vez mais participantes e visitantes.”
“Este é um evento que reúne um conjunto de actividades e que envolve toda a comunidade. É um momento de grande relevo para a economia local e para a mostra daquela que é a identidade de Alvaiázere. É o que nos distingue na região. Há um esforço por criar marca para quem nos visita”, salientou Célia Marques.
Segundo a autarca, o certame tem vindo a aumentar o número de participantes: este ano, estarão presentes 60 produtores e 48 artesãos.
“Este ano teremos pela primeira vez um espaço de artes, com desenvolvimento de trabalhos ao vivo. No âmbito das tasquinhas, há as associações que estão a trabalhar na apresentação de novos pratos e iguarias, tendo por base o chícharo. Há muita motivação e vontade para diversificar a oferta e inovar para que quem nos visita todos os anos tenha algo diferente”, explicou Célia Marques.
O festival, que arranca esta sexta-feira e termina no domingo, conta ainda com ‘show cooking’, promovido pela Confraria do Chícharo e pela Confraria do Arroz das Lezírias. Haverá ainda espaço para duas mesas redondas, que irão abordar o “Impacto da economia circular no desenvolvimento sustentável” e “Gastronomia e turismo”.
“Toda a animação nos três dias é recheada com cavaquinhos, concertos, animação de rua, a Orquestra Ligeira da Sociedade Filarmónica Alvaiazerense de Santa Cecília, entre muitos outros, onde não falta o festival do acordeão, que já é uma referência. É uma oferta cultural bastante transversal”, destacou.
Mantém-se em agenda a realização do emblemático passeio de tractores, do passeio de motas e do passeio de bicicletas antigas.
O desporto também integra o Alvaiázere Capital do Chícharo, estando prevista a realização da segunda edição do torneio de futebol de formação “Al-Bayazira Youth Cup”.
Célia Marques referiu que não existe uma clarificação do número de visitantes, porque a entrada é gratuita. “A única quantificação que se pode fazer é através das refeições servidas, mas, além do local do festival, todos os restaurantes são aderentes, o que torna ainda mais difícil ter um número”.
“É nossa ambição, no futuro, criar um modelo que nos permita saber, porque sabemos que o número tem vindo a crescer. Existe um reconhecimento do evento na região e onde há valor económico. É um meio de promoção do território e dos seus recursos endógenos, potenciando, desta forma, o surgimento de mais oportunidades de negócio, o crescimento da economia local e o reforço da notoriedade do concelho”, concluiu a presidente.

Partilhar
Artigo anteriorMunicípio abre oito vagas para estagiários
Próximo artigoAlmagreira prepara inauguração de museu etnográfico
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.