Agricultores exigem apoios devido a prejuízos de javalis

0
159

Os agricultores do concelho de Pombal exigem ao Governo apoios especiais para fazer face aos prejuízos causados por javalis e outros animais selvagens, anunciaram em comunicado, após uma reunião realizada na associação de Anços, na freguesia da Redinha.
A União de Agricultores do Distrito de Leiria disse que vai reclamar junto do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), do Ministério da Agricultura e do Governo apoios especiais por causa dos prejuízos provocados por javalis e outros animais selvagens.
Segundo refere a associação, há, pelo menos, cerca de meia centenas de agricultores lesados por ataques de javalis nas culturas agrícolas e florestais.
Na reunião realizada na freguesia de Redinha, os agricultores consideraram que, “nas actuais circunstâncias, a dimensão dos prejuízos já causados e o descontrolo que se verifica com as populações de animais, nomeadamente de javalis – que se transformaram numa autêntica ‘praga’ à solta – reclamam a intervenção urgente e indispensável do ICNF, do Ministério da Agricultura e do Governo – entidades com competências e meios que não podem pretender ‘lavar as mãos como Pilatos’ do problema”.
Os agricultores exigem às referidas entidades que façam o “levantamento dos prejuízos causados à lavoura pelos animais selvagens, e por javalis em especial, para atribuição de indemnizações aos lesados”. A associação pretende, ainda, o “controlo das populações de javalis em aspectos específicos da sua reprodução e mobilidade para, também assim, se obter a redução significativa do número de animais”.
O comunicado alerta ainda para o “controlo sistemático do número de animais e do estado sanitário dos javalis” que deve ser efectuado, “para prevenir epidemias como a tuberculose e a peste suína africana que podem constituir um desastre sanitário e económico no sector da suinicultura regional e nacional, para lá de também ameaçarem a saúde pública”.
A associação revela que “muitos pequenos e médios agricultores estão já a deixar de (tentar) produzir, sobretudo as suas sementeiras de cereais (milho) e de hortícolas, bem como culturas permanentes como vinhas, olivais e pomares novos”. Também a floresta nova, referem, está “destruída pelos animais”. Caso não cheguem “depressa respostas favoráveis”, os agricultores afectados não vão desistir de lutar pelos seus direitos e interesses muito legítimos”, frisam.

Governo estuda população de javalis
O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) vai elaborar um estudo sobre a população de javalis em território nacional, anunciou o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.
De acordo com uma nota divulgada pelo gabinete do ministro Capoulas dos Santos, no passado dia 3, a iniciativa visa “determinar a real dimensão e impacto de um alegado aumento da população de javalis e dos eventuais prejuízos daí decorrentes”.
“O ICNF elaborará ainda, caso se justifique, um plano de medidas para controlar a população de javalis e minimizar os prejuízos na área agrícola”, refere a mesma nota, adiantando que “para além do ICNF, poderão participar no estudo outras entidades que acompanham esta temática, como é o caso das direcções regionais de Agricultura e Pescas”. O primeiro relatório deverá estar concluído até ao mês de Setembro.

 

*Notícia publicada na edição impressa de 11 de Abril

Partilhar
Artigo anteriorOPINIÃO | A Importância do riso na saúde humana
Próximo artigoO PERFUME DA SERPENTÁRIA | Il buono, il brutto, il cattivo*
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.