Temperaturas vão baixar ainda mais nos próximos dias

0
2214

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a temperatura mínima deverá baixar nos próximos três dias, com valores a situarem-se entre os – 4º e 2º C, nas regiões Interior Norte e Centro, e entre os 0 e 4ºC, nas regiões do Sul e do Litoral Norte e Centro. O vento deverá soprar forte do quadrante norte, no litoral e nas terras altas, com rajadas que poderão chegar aos 70km/h. Está também prevista a formação de gelo ou geada nas regiões do Norte e Centro.
No seguimento desta informação meteorológica, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) lançou hoje um alerta para os efeitos do estado do tempo. Face à situação descrita, a ANPC adverte para a possibilidade de intoxicação por inalação de gases, devido a inadequada ventilação de habitações com recurso a lareiras e braseiras, mas chama também a atenção para o risco de incêndio em habitações, igualmente em consequência da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias eléctricas. Para quem conduz, todos os cuidados devem ser redobrados, atendendo à formação de gelo em troços de estradas com ensombramento permanente.
Para minimizar estes efeitos, a ANPC aconselha a população a adoptar medidas de auto-protecção e comportamentos adequados, nomeadamente, evitando a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura; envergar várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente; proteger as extremidades do corpo com gorro, cachecol, luvas e meias quentes; ingerir sopas e bebidas quentes e evitar o consumo de álcool e utilizar vestuário adequado por parte de trabalhadores que exerçam actividades ao ar livre e evitar que exerçam esforços excessivos durante as tarefas que realizem. Além destas, a ANPC apela à população para que tome especial atenção aos aquecimentos com combustão (braseiras e lareiras), que seja assegurada a adequada ventilação das habitações e se evite o uso de dispositivos de aquecimento antes de dormir, desligando-os da corrente antes de deitar. Os conselhos estendem-se à adopção de uma condução defensiva, sobretudo em locais da estrada susceptíveis de formação de gelo. Deve ser, ainda, dada especial atenção aos grupos da população mais vulneráveis, como as crianças, idosos e as pessoas portadoras de patologias crónicas, bem como os sem-abrigo, e estar atento às informações da meteorologia e aos conselhos e recomendações da Protecção Civil e Forças de Segurança.