TAP dá formação de iniciação ao teatro e capta novos talentos

0
601
Pedro Pimpão, Humberto Pinto e Ana Gonçalves na apresentação do evento

Proporcionar “uma formação curta de iniciação ao teatro, com uma forte componente lúdica através de jogos teatrais, propondo aos participantes uma abordagem concentrada e divertida ao jogo teatral e ao trabalho do actor”, é um dos objectivos da Oficina de Teatro que será dinamizada no início do próximo ano pelas mãos do Teatro Amador de Pombal (TAP). A iniciativa pretende, ainda, captar novos talentos para o seu grupo de actores/ actrizes, tal como já aconteceu com a primeira edição.
Com uma duração de 35 horas e limitada a 15 participantes, a actividade decorrerá entre 5 de Janeiro e 11 de Fevereiro, no Teatro-Cine, tendo como formadores Filipe Eusébio, Igor Lebreaud, Marcos Sans, Miguel Sopas e Tiago Poiares, e é destinada a qualquer pessoa maior de 16 anos. “Simples curiosos, amantes do teatro, com ou sem experiência em teatro”, refere Humberto Pinto, director do TAP, que juntamente com Joana Ferreira e Luís Catarro coordenam a oficina.
Para o dia 11 de Fevereiro, pelas 17 horas está já agendada a apresentação do “exercício final”, com entrada livre e aberta a toda a população.
Segundo o Teatro Amador de Pombal, o valor da inscrição na oficina de teatro, é de 15 euros para estudantes e desempregados, e de 25 euros para os restantes formandos.
O evento foi apresentado em conferência de imprensa, durante a qual, Pedro Pimpão, presidente da Junta de Pombal, que há um ano participou na primeira oficina de teatro, enalteceu a “qualidade” dos formadores, que “são pombalenses com um percurso muito interessante e relevante neste mundo do teatro”.
Também Ana Gonçalves, vereadora da Cultura da Câmara, sublinhou a importância daquele evento, realçando o seu objectivo de captar novos talentos para o grupo, frisando que “o teatro é muito mais que o simples teatro”.
Por outro lado, o TAP levará a efeito, nos dias 12, 13 e 14 de Janeiro o seu IV Encontro de Teatro. O evento estreia-se com o espectáculo “O anexo” apresentado pela companhia Ajidanha, de Idanha-a-Nova. No dia seguinte, subirá ao palco o Teatro Experimental da Camacha (Madeira) com a peça “Era a Ilha…”. O encontro encerra com grupo anfitrião (TAP) apresenta “Lusíadas”, que inclui no seu elenco elementos provenientes da primeira oficina de teatro.

Partilhar
Artigo anteriorMunicípio comparticipa novo veículo para os bombeiros
Próximo artigoSopas servidas em Vermoil para ajudar voluntário
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.