Socialistas arrasaram o PSD e venceram em Ansião

0
200
Ansião
António José Domingues fez história em Ansião

“Uma vitória dos ansianenses para os ansianenses”. Foi desta forma que António José Domingues considera a conquista da Câmara Municipal de Ansião para o Partido Socialista, ao fim de mais de 40 anos nas mãos do Partido Social Democrata.
Depois de ter sido derrotado nas eleições de 2009, o socialista sagrou-se agora vencedor, com cerca de 700 votos de vantagem. O PSD apostou no histórico autarca Fernando Marques, depois de Rui Rocha (que lidera a distrital do partido) não se ter disponibilizado para se recandidatar, foi o grande derrotado.
Na votação do passado domingo, António José Domingues somou 49,68% da preferência dos 7.398 votantes, enquanto Fernando Marques ficou-se pelos 40,02%. A futura Câmara será constituída por quatro eleitos pelo PS (António José Domingues, Alexandre Miguel Moreira, Paula Cristina Silva e Jorge Paulo Fernandes) e três pelo PSD (Fernando Marques, Célia Freire e Jorge Cancelinha).
Quanto à Assembleia Municipal, José Miguel Medeiros (PS) – deputado, antigo governador civil de Leiria e secretário de Estado da Protecção Civil – contabilizou mais 202 votos que Rui Oliveira (PSD), tendo sido eleitos 11 e dez mandatos, respectivamente. A estes somam-se os presidentes de Junta de Freguesia.
O PS garantiu a vitória nas freguesias do Alvorge (José Simões Barbosa) e Pousaflores (Carlos Jesus Mendes), enquanto o PSD presidirá às autarquias de Ansião (António Cardoso), Santiago da Guarda (David Baptista Rodrigues), Chão de Couce (Fernando Baptista Rodrigues) e Avelar. Ali, Fernando Inácio Medeiros assegurou a autarquia para o PSD, apesar de ter não ter conseguido maioria. O grupo de cidadãos Avelar Movimento Independente, encabeçado por Pedro Caetano Silva elegeu três membros e o PS dois, enquanto o PSD elegeu quatro.
Situação idêntica, também, na Assembleia de Freguesia de Ansião, com os socialistas e o Movimento Autárquico Lagarteira, Torre e Ansião (MALTA) a elegerem três e dois membros, respectivamente, enquanto os social-democratas somaram apenas quatro.
Em declarações ao nosso jornal, António José Domingues começou por agradecer “às pessoas que confiaram” em si e no seu projecto. “Que acreditaram que era possível mudar, que acreditaram porque votaram”. Depois, transmitiu uma “grande tranquilidade e confiança aos ansianenses”, garantindo que irá “trabalhar para eles”, tal como o referiu durante a campanha eleitoral.
Um trabalho que o futuro presidente da Câmara pretende realizar “dentro de uma linha” que definiu como prioritária. Ou seja, “próximo das pessoas, ouvindo os seus problemas”.
“Não estando contra ninguém, não pretendo entrar em situações de ruptura drástica com o passado”, disse António José Domingues, acrescentando: “nós temos de olhar para o passado e aprender com aquilo que foi bem feito, com os pés bem assentes no presente e projectar o concelho de Ansião no futuro”.
O socialista pretende, acima de tudo, “criar melhores condições para todos” para que “todos se sintam melhor no concelho de Ansião

Partilhar
Artigo anteriorCastanheira muda para o PSD e Pedrógão para o PS
Próximo artigoVilaventura representa o concelho em Londres e Açores

Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.