Região de Leiria combate insucesso escolar

0
108

A redução da percentagem de alunos com níveis negativos em pelo menos 10% e da taxa de retenção e desistência em pelo menos 25% são os principais objectivos de um plano apresentado pela Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL).
O Plano Inovador de Combate ao Insucesso Escolar 2017-2020 da CIMRL, da qual fazem parte os municípios de Ansião, Alvaiázere, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Marinha Grande, Pedrógão Grande, Pombal e Porto de Mós, será implementado até Julho de 2020 e envolveu um investimento de 2,6 milhões de euros, dos quais 2,2 milhões são comparticipados pelo FEDER.
Carlos Agostinho, vereador da Educação da Câmara da Batalha (PSD), município onde foi apresentado o programa, explicou que o projecto “focaliza-se essencialmente nas crianças do pré-escolar e 1.º ciclo”. Contudo, “além destes destinatários, a plataforma de apoio à função educativa estende-se a todos os níveis educativos”.
O projecto envolve um trabalho de parceria e equipa, o que implica que municípios e agrupamentos de escolas “trabalhem em conjunto”, de modo a que as “medidas adoptadas tenham melhores resultados”.
Aplicado a cerca de 11.400 alunos do pré-escolar e 1.º ciclo de 220 escolas dos dez concelhos da CIMRL, o plano prevê a promoção da aquisição de competências sociais e pessoais, que se enquadram em sete actividades com várias acções.
“Pretende-se aumentar as intervenções que de forma integrada e articulada favoreçam as condições para o reforço da igualdade no acesso ao ensino, a melhoria do sucesso educativo dos alunos e o reforço da qualidade e eficiência do sistema da educação”, destacou Anabela Graça, vereadora da Câmara de Leiria.
Seminários, intercâmbios internacionais, visitas de estudo aos concelhos vizinhos para “descobrir o património da região”, desenvolvimento do empreendedorismo e de actividades de ensino experimental são algumas das actividades que integram o plano.
A CIMRL contratou 34 técnicos de diferentes áreas para constituir equipas multidisciplinares municipais. “Cada Câmara definiu as equipas em função das necessidades dos seus territórios educativos, de modo a dar resposta àquilo que os agrupamentos de escola solicitaram”.
O plano contempla ainda a educação para a saúde dirigida ao pré-escolar e 1.º ciclo, onde serão abordados não só hábitos de vida saudável, como a temático de comportamentos aditivos como o álcool, o tabaco, os jogos ‘online’ e ‘offline’, ‘youtubers’ e redes sociais.

“Com base na recolha de dados ao nível intermunicipal, vamos monitorizar para identificar boas práticas e fragilidades que orientem para acções futuras”, adiantou Anabela Graça.
A CIMRL apresentou ainda o “Educa & Cloud”, sistema de informação web multiplataforma de apoio à função educativa. Com um investimento de “quase cerca de 300 mil euros”, o projecto irá alojar e tratar informação numa ‘cloud’ da CIMRL, explicou Carlos Agostinho.
Nesta plataforma será possível ter uma gestão curricular, da acção social escolar, da componente de apoio à família, das actividades de enriquecimento curricular, das refeições, do parque escolar e dos pagamentos, sem “substituir as ferramentas das escolas”.
“O objectivo desta candidatura foi facilitar a disponibilização de conteúdos pedagógicos, de forma a procurar incrementar o sucesso escolar e criar uma rede comum de conhecimento envolvendo as comunidades educativas de escolas que ministrem todos os graus de ensino”, precisou Carlos Agostinho.

Partilhar
Artigo anteriorPombalense lança guia turístico da Guiné-Bissau
Próximo artigoCDS-PP avalia trabalho, condições e dificuldades das escolas
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.