Paula Silva estreia-se na escrita com “Leila e o Pente Mágico”

0
95

 

“Leila e o Pente Mágico” podia ser apenas mais um livro infantil, mas a autora quis fazer dele um mensageiro de valores como a partilha, a amizade e a tolerância. “É muito importante incutir nas crianças o respeito pelas diferenças”, disse Paula Silva à imensa plateia de pequenos e graúdos que no sábado, dia 13 de Janeiro, se deslocaram à Biblioteca Municipal de Pombal para assistir à apresentação daquele que é o primeiro livro da jovem autora pombalense.
Mãe de dois meninos, a cuja educação se tem dedicado inteiramente nos últimos cinco anos, foi neles que Paula Silva encontrou a inspiração e o impulso que faltavam para dar azo ao gosto pela escrita, que a acompanha desde sempre.
Licenciada em Línguas e Relações Empresariais, a autora diz que esta é uma “história para crianças” e que, por isso, só podia ser “simples, breve e despretensiosa”, para que os pequenos leitores que nela se hão-de embrenhar a possam ler “sozinhos” e “compreendê-la”. Uma forma de criar hábitos de leitura desde tenra idade, como a própria disse.
E essa foi também a principal mensagem deixada por Graciosa Gonçalves, a antiga professora de Português de Paula Silva a quem coube a apresentação da obra. Depois de ter recordado a autora enquanto aluna, a docente da Escola Secundária de Pombal exortou os adultos que assistiram à apresentação a contarem histórias aos filhos e netos. “Hoje, as crianças e os jovens estão muito ‘doentes’ por dentro, muito carentes de afectos”, nota, e é nesse contexto que as histórias e a leitura, em geral, assumem um importante papel.
Sobre os valores que alicerçam a história de “Leila e o Pente Mágico”, a professora lembra que actualmente “as escolas são arco-íris”, mas lamenta que os pais não trabalhem essa vertente com os filhos, nomeadamente falando com eles sobre a diferença, evitando que cheguem à adolescência com estereótipos.
A encerrar a apresentação, o coordenador da Biblioteca Municipal, Nelson Pedrosa, frisou que a instituição irá continuar a estar disponível para apoiar o lançamento de obras de autores pombalenses.

[Artigo publicado na Edição de 18 de Janeiro]