Nova direcção do CDS-PP quer “despertar consciências”

0
289

A nova estrutura concelhia do CDS-PP de Pombal, liderada por Pedro Pinto, ergueu como a sua “principal bandeira” para as próximas batalhas políticas “o despertar de consciências”. “É tempo de ouvir com atenção todos aqueles que formam o núcleo da sociedade pombalense”, refere o sucessor de Sidónio Santos na liderança concelhia dos centristas.
“É preciso escutar atentamente os jovens, os estudantes, os empresários, as colectividades sociais, culturais e recreativas e todos os homens e todas as mulheres que formam a sociedade em geral”, refere, considerando que “urge a necessidade de promover debates sérios e aprofundados das múltiplas realidades contemporâneas em confronto no nosso concelho, respeitando sempre os princípios éticos e morais que devem reger todos aqueles que da sociedade fazem parte.”
A estrutura recém-eleita pretende “assumir vincadamente a sua condição de oposição”, afirma, reconhecendo que, para tal, “não basta apenas apontar as falhas e os erros crassos que a actual governação camarária tem cometido, que instigaram um recuo do concelho de Pombal em todas as áreas fundamentais de desenvolvimento”, mas também “apresentar soluções e propostas concretas para essas mesmas áreas afectadas”.
Através de uma nota de imprensa, o CDS-PP “expressa a ausência de um programa e de uma linha de acção por parte do executivo camarário”. “A sua acção passa por fazer o mais fácil, ou seja, transformar os recursos económicos em bens materiais (infra-estruturas), esquecendo as questões de fundo que distinguem hoje uma civilização moderna”, considera.
Na opinião dos centristas, “a modernização da nossa sociedade tem de passar pela atractividade ao nível empresarial e familiar”, para que, desta forma, “possamos subir de patamar na qualidade de vida e no bem-estar, situação que só acontece onde existe verdadeiramente emprego de qualidade”. “Em adição ao desnorteio municipal, assiste-se, de uma forma transversal, ao mesmo fenómeno nas freguesias do concelho, o que, prosseguindo por esta via, acabará por condenar as mesmas à desertificação”, acusa.
Para a concelhia centrista, o “concelho tem de ser capaz de atrair mais empresas, criar melhor emprego, contratar quadros intermédios, aliciar quadros superiores, enriquecendo a massa crítica tão necessária na realidade social actual”. “Só assim será possível tornar o concelho de Pombal num concelho de vanguarda, à semelhança de outros muito mais adiantados neste aspecto”, realça, adiantando que o CDS-PP quer trazer ao debate local “temas que têm sido rejeitados pelas estruturas partidárias no poder”, como “a economia, a educação, a saúde, o ordenamento do território, a fixação de pessoas, a criação de emprego, a criação de oportunidades e a criação de valor acrescentado”.
Por fim, a direcção liderada por Pedro Pinto, actual membro da Assembleia de Freguesia de Almagreira, órgão a que presidiu durante o mandato anterior, “quer deixar claro que, se pautará sempre pela legalidade e pelo rigor no exercício das suas funções, e não tolerará aqueles que, não cumprindo as funções executivas de forma rigorosa e transparente, se vitimizam ao ponto de tentarem fazer crer que quem pugna pela legalidade é quem está errado.”

 

Partilhar
Artigo anteriorLADO traz conceito inovador para Pombal
Próximo artigoAluno da Guia vence bronze em Olimpíadas de Matemática
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.