Mouras encantadas em bonecas de pano

0
315

Sofia Pinto Correia, uma artista plástica apaixonada pela antropologia, etnografia e pelo património português. Pelas histórias, lendas e tradições. E foi numa dessas pesquisas, «por acaso», que se deparou com as “mouras encantadas” e se questionou “porque não as traduzir esteticamente?”.
Baseou-se “nas primitivas bonecas de pano e na tradição das lendas portuguesas, povoadas de seres fantásticos, que contam histórias de mouras encantadas”, esses belos espíritos da natureza, almas guardiãs de tesouros e lugares mágicos, que se escondem em grutas, penedos e fragas, ruínas e castelos, nos bosques, nas nascentes ou nas pontes, nasceu a exposição que está patente no Arquivo Municipal.
A exposição subordinada ao tema “Mouras Encantadas”, da autoria de Sofia Pinto Coelho, foi inaugurada a 1 de Setembro, e estará em Pombal até 13 de Outubro.
“O projecto apresenta um conjunto de bonecas de pano inspiradas nas antigas lendas portuguesas de mouras encantadas, no contexto do património cultural imaterial, unindo conhecimentos da oralidade, das representações do religioso, sagrado, iconografia popular, materiais tradicionais e artesanais”, explica Sofia Pinto Correia.
Nascida em Lisboa, Sofia Pinto Correia é licenciada em Marketing pelo IADE e possui, também, o curso de Design de Moda, com especialização em Audiovisuais de Moda no IADE e, ainda, o curso de Modelagem Industrial.
Em termos profissionais, a autora dedicou-se, entre 1989 e 1999 à “acessorização” de moda, em desfiles, revistas e colecções de marcas e designers portugueses.
Em Outubro de 2007, foi editado o seu primeiro livro de poesia, intitulado “Casa Grande”, em 2010 editou “Ficar só assim” e “A Ilha das Laranjas”, um ano depois publicou “Demora em nós a sombra” e “A dragonfly girl in the eighties” e, em 2014, voltou a editar um novo livro – “Planura” – este de poemas únicos, com ilustrações e edição da artista.
Na área da pintura, Sofia Pinto Coelho fez o curso de formação artística na Sociedade Nacional de Belas Artes e expõe, individualmente e com regularidade, desde 2003.
A nível individual, a autora já marcou presença em cerca de quatro dezenas de locais, em todo o País, e tem agendadas, para o ano em curso, e para além de Pombal, exposições em Tavira, Viseu e Marvão.