Ministério responde em relação ao Externato Liceal

0
395

O Ministério da Educação argumenta que o financiamento, ao abrigo dos contratos de associação, de apenas uma nova turma no Externato Liceal de Albergaria dos Doze, corresponde às necessidades, “havendo nas escolas de proximidade às residências dos alunos capacidade para acolher mais alunos”.
A garantia foi dada pelo gabinete do ministro da Educação a uma pergunta que lhe foi dirigida pelo Grupo Parlamentar do CDS-PP. No documento, o Ministério refere que “a celebração de associação com os estabelecimentos de ensino particular e cooperativo resulta de uma análise anual, criteriosa da rede de oferta pública de ensino, apenas se justificando em situações de carência no que respeita à oferta de estabelecimentos de ensino público”.
Por outro lado, refere que o transporte escolar “deve ser assegurado pelas câmaras municipais” conforme o estipulado pela lei, e “os percursos e viaturas são adaptadas aos alunos que residam nas freguesias desses concelhos e que frequentam o ensino pré-escolar, básico e secundário da rede pública”.
Na resposta, o Ministério da Educação afirma que os seus serviços “acompanharam, uma vez mais, o processo de organização da rede escolar e colocação de alunos, em estreita articulação com os municípios, de modo a acautelar a necessária previsão de transporte de alunos”.
Quanto aos alunos com Necessidades Educativas Especiais, “não dependem do local em que estudam, tendo as escolas públicas as condições necessárias para acolher e acompanhar esses alunos”, frisa.

Partilhar
Artigo anteriorImpugnação judicial atrasa plano de defesa da floresta
Próximo artigoMunicípios de Pombal e Soure cooperam em defesa do Anços
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.