Métodos antigos, novos conceitos

0
128

“Oldways Store”, assim se chama a nova loja de roupa que pode ser muito mais que isso. Abriu a 21 de Outubro na Rua Dr. José dos Santos Alves, em Pombal.

Gustavo Tavares esteve “fora do país 13 anos”, mas foi por “amor a isto” que decidiu regressar às origens. Trabalha em Lisboa, mas vive em Pombal, “pela qualidade de vida”, e pelas “pessoas”. Com uma linha de vestuário criada em 2013, o jovem sempre “quis abrir uma loja aqui”. A oportunidade surgiu, o espaço era numa localização privilegiada para o tipo de público que capta, e a Oldways Store abriu portas no passado dia 21 de Outubro, sábado. O lançamento ficou marcado pela “passagem de mais de 250 pessoas pela loja”, e por um concerto de Quinta-feira 12, no espaço do BOLD Caffé, onde estiveram “outras tantas”.
A loja representa um conceito que já existe noutras grandes cidades, mas que “em Pombal ainda não existia” e que passa por juntar no mesmo espaço várias valências que se complementam. Assim, num futuro próximo é possível que vá comprar um par de sapatos e saia de lá com uma tatuagem nova, ou um corte de cabelo moderno.
Exactamente, dentro da Oldways Stores para além de ter um leque de produtos de vestuário com marcas que piscam o olho a quem passa, como Fred Perry, UGG, ou New Era, o espaço também está equipado com uma cadeira de barbeiro, onde já “se sentaram todos os presidentes que passaram pela Câmara de Pombal”, ou não fosse ela a cadeira da Barbearia Nova Ramos, “a primeira, a original”. Pertencia a um familiar, “decidi restaura-la e voltar a utiliza-la quando houver oportunidade”. Um espaço de tatuagens também “está pronto a arrancar”, mas “estou ainda a ponderar diferentes modelos”, um dele “passa por convidar artistas estrangeiros a permanecerem no estúdio durante algum tempo, como artistas convidados”.
Outra das apostas do jovem pombalense passa pela “colaboração com artistas de Pombal”, que podem expor os seus trabalhos e as suas peças. “No dia da inauguração do espaço apercebi-me que muitos dos meus amigos já eram pais”, e surgiu a ideia de expandir o negócio para os mais pequenos, “porque existem muitos pais que procuram opções diferentes do convencional”.
A customização de peças também pode vir a ser uma realidade. Gustavo Tavares prepara-se para dar a oportunidade ao cliente de ser o ele próprio o designer: “a pessoa escolhe a peça, o modelo, a cor, e depois disponibilizamos várias estampas, ou bordados que podem ser aplicados no artigo”, aqui a única coisa a ter em conta é a imaginação.
O espaço foi pensado “para ser diferente”, onde o sentido estético tem um peso muito grande. A cadeira restaurada. O gira-discos com ar cansado, mas que não desafina. A moto antiga que parece saída do stand, ou os candeeiros: tudo giro.

Partilhar
Artigo anteriorCarros, motas e rock’n’roll
Próximo artigoTendinite

Nasceu em 1985, estudou Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra e participou num curso de formação em Jornalismo e Crítica Musical. Passa os dias a ouvir música, adora assistir a concertos e sonha viajar pelo mundo com uma mochila às costas.