Mais de meio milhão para requalificação urbana na cidade

0
1119
Projecto prevê a requalificação urbana do Jardim das Laranjeiras

O Município de Pombal vai investir mais de 540 mil euros na requalificação da Rua Dr. Custódio Freire e do Jardim das Laranjeiras, no centro da cidade. Os respectivos projectos de execução, elaborados no âmbito do Plano Estratégico do Desenvolvimento Urbano (PEDU), foram aprovados na última reunião de Câmara, com seis votos a favor e três abstenções.
De acordo com a respectiva memória descritiva, o projecto de requalificação urbana do Jardim das Laranjeiras, com uma estimativa a rondar os 260 mil euros, passa pela reformulação organizacional e material de todo este espaço, bem como parte dos arruamentos confinantes, designadamente a Rua de Santa Luzia, Rua Dr. António Fortunato de Rocha Quaresma, Avenida de Biscarrosse e Rua São João de Deus. Esta última passará a ser parte integrante do novo largo das laranjeiras, funcionará em plataforma com um carácter mais pedonal, utilizando os mesmos materiais que os circuitos pedonais do largo.
“A valorização urbana deste local é conseguida através da reorganização espacial, materialização proposta, e atribuição de novas valências ao espaço”, refere o projectista, frisando que “estas são premissas fundamentais que foram tidas em conta no desenvolvimento deste projecto, fundamentando um outro tipo de vivência urbana”.
A proposta prevê a transformação do actual jardim num largo de plataforma única sobre elevada em relação à rede viária, facilitando a mobilidade onde a livre circulação do peão é prioritária. “O espaço vem desta forma ganhar uma nova integração urbana, com outra qualidade espacial, mais desafogada e mais aprazível à permanência”, refere o projectista.
Quanto ao projecto de intervenção da Rua Dr. Custódio Freire, estimada em mais de 280 mil euros, contempla aquela rua desde o Largo 25 de Abril até ao entroncamento com a Rua 1º de Maio, incluindo o beco situado no tardoz do solar e os remates com os arruamentos adjacentes, nomeadamente com a Rua Dr. Luís Torres, Rua do Mancha Pé, Rua do Loureiro e Rua da Encosta do Castelo.
Com aquele projecto, a Câmara Municipal pretende, essencialmente, “dar continuidade ao projecto de regeneração urbana que foi levado a cabo na zona histórica; melhorar as condições para a circulação e estadia de peões; reduzir as barreiras arquitectónicas e favorecer a mobilidade; reforço da presença de material vegetal; melhorar as infra-estruturas; introdução de conexões entre os vários espaços através de elementos geométricos inscritos nos pavimentos ou no desenho do mobiliário; e a valorização estética do conjunto”.
“Em termos particulares pretende-se corrigir os problemas detectados na fase de análise e diagnóstico, nomeadamente os alinhamentos e a configuração do arruamento de forma a melhorar a fluidez do tráfego automóvel, condições e áreas de estacionamento e reformular as infra-estruturas de iluminação pública, rede de águas, esgotos pluviais e domésticos”, refere o projectista.
O projecto prevê, ainda, a alteração da circulação rodoviária, que passará a ser de sentido único ascendente, desde o Largo 25 de Abril para o entroncamento com a Rua 1º de Maio e a redução a uma única faixa.

Notícia publicada na edição de 29 de Novembro

Partilhar
Artigo anteriorO PERFUME DA SERPENTÁRIA | Cuidado, meninos Tonecas*
Próximo artigoSugestões para uma mesa de Natal recheada de sabor
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.