Grupo Motard Marquês de Pombal atinge maioridade

0
222

Entre curvas e contracurvas, com algumas descidas e outras tantas subidas, o Grupo Motard Marquês de Pombal (GMMP) assinalou os 18 anos de existência, a 11 de Novembro. Para a Comissão de Gestão, o aniversário vem provar que a longevidade “ainda que curta, revela o Espírito Motard que se vive dentro do Grupo”.
Este ano as celebrações ficaram marcadas por vários momentos especiais, e para além do baptismo dos novos elementos do Grupo, do já habitual passeio pela cidade, ou do jantar convívio, a passagem para a maioridade ficará associada à homenagem que o GMMP decidiu fazer a Jorge Mota Longo, o presidente falecido há cerca de quatro anos.
“A homenagem a Jorge Mota Longo – “O Pai”, era o mínimo que se poderia fazer ao mesmo. Claro que houve, há e haverão muitos sócios de relevo no Grupo Motard Marquês de Pombal. Até porque, de forma directa ou indirecta, todos contribuíram para que chegássemos onde chegámos, contudo “O Pai” é uma referência no Grupo. Não só pela sua boa disposição mas também por ser alguém pronto a ajudar qualquer um que fosse. Sempre fez questão de passar o Espírito Motard aos outros”, explicam.
Por altura do aniversário, a Comissão de Gestão admite que o Grupo está a “passar um bom período”, onde têm “recebido muita gente no nosso espaço e nas nossas actividades. Mesmo aqueles que não são sócios”. Actividades essas que podem ir desde passeios, “sobretudo no Verão”, a festas, e convívios na sede, que está localizada na Rua Manuel da Mota, em plena Zona Industrial da Formiga.
Os responsáveis pela gestão do Grupo admitem que “há cada vez mais gente a andar de moto”, e em dia de aniversário foram vários os novos sócios que aproveitaram o fresco de Novembro para receber o baptismo mesmo ali em pleno Cardal, dentro da Fonte Luminosa. No entanto queixam-se das “injustiças que existem no pagamento de taxas (IUC, portagens, combustíveis, etc.) e a falta de respeito e civismo que existe na estrada quando encontram um motard”, e lamentam: “Ainda somos olhados de lado e com alguma desconfiança”.
Apesar das dificuldades e contrariedades, o Grupo é bastante activo na comunidade e sensível às questões sociais, sendo que é de referir que o próximo evento “de relevo” será “a nossa já tradicional entrega de presentes no Centro de Acolhimento Temporário da APEPI, no dia 17 de Dezembro, pela manhã”. Estamos todos convidados.