Fragilidades na GNR podem comprometer protecção no concelho

0
340
O CDS denuncia o “estado obsoleto” das instalações da GNR de Pombal

Fragilidades no que diz respeito a recursos humanos e a nível de instalações poderão dificultar a acção diária dos militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) no concelho de Pombal. A denúncia foi feita, através de um comunicado, pela Concelhia do CDS-PP após uma reunião com o comando do Destacamento Territorial de Pombal.
Pedro Pinto, presidente da Concelhia do CDS-PP Pombal, refere que aquele encontro foi realizado “no seguimento do aumento de casos de acidentes rodoviários e também dos recentes casos de criminalidade levados a cabo contra idosos ocorridos no concelho”. “Nas três horas de conversa, o CDS-PP Pombal procurou entender qual o nível de alerta da GNR e quais suas condições de actuação”, refere.
Segundo a concelhia centrista, “os recursos humanos afectos ao posto da GNR de Pombal estão comprometidos com a missão que lhe está confiada”. “Foi notória capacidade de organização e de trabalho em equipa levada a cabo pelo comandante, com o propósito único de alcançar o maior sucesso na acção dos seus homens, revelando, igualmente, um profundo conhecimento da realidade social e territorial do concelho”, refere.
No mesmo comunicado, o CDS-PP destaca “como ponto negativo” o “estado obsoleto e ultrapassado da grande maioria das instalações, sendo evidente que estas não correspondem às actuais necessidades de funcionamento e bem-estar do efectivo da Guarda, dificultando até a sua boa actuação no dia-a-dia”.
Citado no documento, Pedro Pinto, líder da concelhia dos centristas pombalenses, refere que “reunimos com o comando do Posto a fim de nos inteirarmos sobre vários assuntos relacionados com a protecção de pessoas e bens, segurança rodoviária, segurança no território, bem como assuntos relacionados com o combate à fraude e à criminalidade”.
O partido realça “a forma profissional e cordial” como decorreu a reunião e garante que “continuará a reunir com as instituições, agentes e forças vivas do concelho, numa lógica de abertura à sociedade, discutindo todos os temas de interesse geral para Pombal”.

Partilhar
Artigo anteriorAnsião: Fim de semana com Mercado Medieval em Santiago da Guarda
Próximo artigoFesmonte: Cartaz de luxo consolida evento de “referência” regional
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.