Ex-autarca de Alvaiázere condenado a seis anos de prisão

0
220

Arlindo Gomes de Carvalho, ex-presidente da Assembleia Municipal de Alvaiázere, foi condenado, na passada segunda-feira, a seis anos de prisão por burla qualificada e fraude fiscal, num processo que foi, também, condenado a 12 anos de prisão, o ex-presidente do BPN, Oliveira e Costa, entre outros arguidos.
Em causa estavam ilícitos relacionados com a aquisição de terrenos, através de crédito obtido junto do Banco Português de Negócios (BPN), num valor superior a 50 milhões de euros. Este caso é um dos processos extraídos do dossier BPN, que já levou à condenação de Oliveira e Costa a 14 anos de prisão no julgamento do processo principal do caso BPN, mas a decisão, alvo de recursos, ainda não transitou em julgado.
Numa súmula lida em cerca de uma hora, a juíza Maria Joana Gracio classificou os arguidos como pessoas que cometeram crimes com um “grau de ilicitude elevadíssimo” e que “brincaram com o dinheiro do cidadão cumpridor e em quem confiou no banco e nos seus administradores”.
O tribunal entendeu ainda que houve uma “utilização desgovernada e despudorada do dinheiro e que essa conduta não pode passar impune”.
Sobre Arlindo Carvalho, ex-ministro da Saúde e ex-secretário de Estado da Segurança Social, o tribunal disse que este teve “condutas que revelam oportunismo, ganância e sem escrúpulos”, tendo beneficiado de quase dois milhões de euros ao assumir posição de “testa de ferro” em vários negócios.
O advogado João Nabais também já disse que iria recorrer da condenação de seis anos de cadeia do alvaiazerense de 73 anos de idade.

Partilhar
Artigo anteriorIncêndio em habitação deixa casal de idosos desalojado
Próximo artigoESPAÇO À JUSTIÇA | Arguido e Prisão Preventiva
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.