ETAP, uma escola de referência

0
980

Foram muitas as mudanças ocorridas nos últimos anos naquela que é a primeira e mais antiga escola profissional do País.

Em 2015, aquando da integração, como accionistas da Escola, de 40 das maiores e melhores empresas do concelho, foi firmado o propósito de “construir a melhor Escola Profissional do País”.
Na senda de tal propósito, a Escola Tecnológica, Artística e Profissional de Pombal tem-se afirmado como uma referência do ensino profissional na região. É o que indicia o grande aumento do número de alunos e de turmas da Escola, que quase duplicou em três anos atingindo valores recordes nos quase 28 anos de vida da instituição, como a proveniência dos alunos, oriundos de 18 concelhos da região centro, tornando a ETAP numa das maiores escolas profissionais desta região.
O número de alunos da escola, já superior a 400, está distribuído por várias áreas, nomeadamente: Turismo, Transformação de Polímeros, Programação e Maquinação (CNC), Auxiliar de Saúde, Mecatrónica Automóvel, Mecatrónica, Eletromecânica e Vendas, no que diz respeito a cursos profissionais, e Informática, Saúde/ Acção Educativa e Mecânica Automóvel, relativamente a Cursos de Educação e Formação (CEF) do ensino básico.
Não obstante o crescimento registado, localmente, continuam a existir estigmas em relação ao ensino profissional e em relação à escola. Sofia Marques, residente em Pombal e aluna do 1º ano do curso de Turismo, relata-nos a sua experiência de entrada na ETAP: ” Não me sentia bem no curso em que estava (ensino regular) e decidi mudar para um curso profissional já no 2º período. Ouvia falar mal da escola pelos que não a conheciam e bem pelos seus alunos. Agora sei que fiz uma boa escolha. A relação com os professores e funcionários é diferente das outras escolas onde já andei. Acolhem-nos melhor e a ligação entre todos é muito próxima.”
Mas o que torna esta Escola diferente e atractiva para jovens de quase uma vintena de concelhos da Região?
Para alguns a escolha prende-se com a especificidade dos cursos, alguns deles únicos na região, e com a sua correspondência às reais necessidades de recrutamento das empresas, factor que favorece a empregabilidade, permitindo que a ETAP atinja níveis de quase 100% neste campo. É o caso de Filipe Figueiredo, aluno do 2ºano de mecatrónica automóvel e residente em Leiria, que se levanta todos os dias às 6h30 para ir para a escola. “Esta escola foi sempre a minha única opção, porque tinha o curso que eu queria. Estava decidido que era este o meu caminho tivesse de percorrer a distância que tivesse.” Já o ex-aluno de mecatrónica, Diogo Azenha, residente na freguesia do Carriço e concelho de Pombal, em 2016 realizou o seu estágio de final de curso na empresa Valsteam, localizada no Parque Industrial da Guia, tendo aí ficado a trabalhar, tal como acontece com a maioria dos alunos finalistas.
Filipe Figueiredo destaca, ainda, as condições disponibilizadas em termos de instalações e equipamentos que se assumem como critério de escolha. “As salas práticas estão a ficar cada vez melhor equipadas e isso também é um incentivo para os alunos que, como eu, preferem as aulas práticas.” A ETAP dispõe de um espaço escolar recentemente requalificado e de um alargado conjunto de laboratórios e oficinas que reproduzem o ambiente laboral e programas que acompanham as tendências do mercado, com aulas com elevado cariz prático.
José Carvalho, aluno do 1º ano de mecatrónica e residente em Pombal, decidiu estudar na ETAP porque “era perto de casa e achei que era o melhor para mim. Tinha o curso que eu queria mesmo e, quando visitei a escola, percebi que as salas eram muito bem equipadas e os professores foram muito simpáticos na minha recepção. Fiz uma boa escolha, estou a gostar do curso.”
Também a possibilidade de realização de estágios em empresas de referência na região, ou mesmo noutros países através do Programa Erasmus +, é outra das mais-valias apontadas à ETAP. Este programa de mobilidade europeia de estudantes atingiu uma elevada notoriedade dentro e fora da escola, tendo no presente ano lectivo sido realizadas 48 mobilidades internacionais envolvendo países como Itália, Alemanha, França, Finlândia e Polónia. Diogo Silva, finalista do curso de mecatrónica automóvel, é um dos alunos que se encontra a usufruir do Programa Erasmus +, estando a estagiar em Bordéus (França) num concessionário Ford. “Não vou dizer que fiquei a gostar de estudar, mas o simples facto de o estudar ser conciliado com o trabalho prático muda completamente as coisas, ou seja as aulas práticas e as formações em contexto de trabalho. Sou um sortudo por ter entrado para a ETAP e um felizardo por ter enveredado por um curso profissional.”
A direcção da ETAP destaca outros aspectos, como sejam um acompanhamento muito personalizado dos alunos (e das suas famílias), especialmente dos que possam revelar mais dificuldades, bem como um trabalho em equipa, envolvendo muitas das vezes entidades externas parceiras da Escola, visando a promoção do sucesso escolar dos alunos e a sua orientação, quer para o mercado de trabalho, quer para o prosseguimento de estudos, via esta que em 2016 já representou mais de 30% dos alunos que concluíram o respectivo curso profissional. Filipe Figueiredo confessa que “Não gostava da escola, sempre fui um aluno mediano e neste momento subi as notas nalgumas disciplinas por causa dos professores. Tanto o tipo de explicação, como a atitude dos professores tiveram influência no meu interesse pelas disciplinas.” Já Ângela Santos, aluna do 2º ano do curso Auxiliar de Saúde sempre quis estudar saúde no ensino superior. “Não sabia que, com um curso profissional, também podia prosseguir estudos e quando soube percebi que era uma boa ideia pois podia começar a estudar saúde logo a partir do 10º ano. Quando terminar o curso quero tirar a licenciatura em enfermagem ou nutrição.”
A taxa de abandono escolar tem vindo a reduzir, tendo atingido em 2016 os 2,99%, valor que se encontra muito abaixo da média nacional. Ricardo Guedes, aluno do 2º ano do curso de técnico auxiliar de saúde refere “Desde os 16 anos que queria desistir da escola. No curso profissional melhorei muito enquanto aluno e tive 19 valores nos estágios que fiz (Lar da Santa Casa da Misericórdia e IPO de Coimbra). Neste momento pretendo trabalhar e tirar uma CTESP na área da gerontologia.”
O desporto e o envolvimento dos alunos em projectos e concursos nacionais são outras das áreas de aposta da ETAP. Em ambas tem sido enorme o reconhecimento desta aposta, não só no bem-estar dos alunos, através da melhoria da auto-estima e auto-confiança, como nos vários prémios conquistados.