Edifício Alto do Vale alia tranquilidade, design e qualidade

0
1922

Ainda não está concluído, mas cerca de 50 por cento das fracções já estão vendidas. Ao todo, são 14 apartamentos, todos diferentes, com a assinatura da arquitecta Rita Cordeiro, e onde nenhum pormenor foi deixado ao acaso. As tipologias variam entre T2, T3 e os duplex. O apartamento-modelo já pode ser visitado.

 

Qualidade, conforto, elegância e muita tranquilidade. É com estas características que se apresenta o Edifício Alto do Vale, um prédio localizado na cidade de Pombal, a escassos metros da Escola Gualdim Pais, mas com a vantagem de estar fora do bulício do centro urbano.
Os primeiros apartamentos deverão estar concluídos até ao final do ano, uma vez que já estão vendidos, e os restantes até finais de Fevereiro ou início de Março. Até lá, os interessados podem visitar o apartamento-modelo, o mesmo que, no dia 6 de Outubro, esteve de portas abertas para receber potenciais clientes e dar a conhecer as principais características das fracções, quer ao nível da construção quer dos acabamentos. “Correu muito bem”, sintetiza Rita Cordeiro, que assume, neste projecto e pela primeira vez, um duplo papel: o de arquitecta e, em parceria com Frederico Gabriel, também de promotora imobiliária. “Tivemos casa cheia das 16h00 às 20h00”, num ambiente que juntou, ainda, inúmeros amigos e familiares do casal.
Numa altura em que o mercado imobiliário vive uma dinâmica bem diferente dos malfadados anos da crise, a procura por casas novas é uma realidade, sobretudo num concelho como Pombal, onde a oferta disponível é escassa. No Edifício Alto do Vale, a opção por tipologias T2 e T3 deve-se ao facto de aquela zona, em particular, ser muito procurada por famílias. A proximidade à escola é um factor importante, mas a tranquilidade é o requisito que mais pesa na hora de ali comprar casa. Aliás, “os apartamentos já vendidos [nesta fase de construção] foram para famílias ou jovens casais que querem constituir família”, constata Rita Cordeiro, o que reforça a ideia de que o local é o ideal para este tipo de clientes.

Com áreas muito generosas [há um T3 com 160 metros quadrados], cada imóvel fala por si. “Os meus apartamentos são todos diferentes, porque as pessoas também são diferentes”, explica a arquitecta, que fez questão de criar espaços diferenciados para que o cliente possa optar por aquele que mais se identifica consigo. Rita Cordeiro reconhece que esta não é uma tarefa fácil quando se trata de um prédio, uma vez que não se conhece o futuro comprador, o que faz com que “tenha que me imaginar na pele de vários”.
Com índices de qualidade superior, o Edifício Alto do Vale prima pela escolha criteriosa de todos os materiais, mesmo aqueles que não estão à vista. “Tivemos todo o cuidado na construção pura e dura”, o que se traduz em níveis de isolamento térmico e acústico de excelência. A técnica e promotora sabe que “não é isso que vende”, mas fez questão de não negligenciar nenhum aspecto. Uma estratégia que, como não podia deixar de ser, foi tida igualmente em conta no que toca a acabamentos. Neste campo, o edifício tem inúmeras marcas diferenciadoras, muito à imagem daquele que é o trabalho já desenvolvido por Rita Cordeiro na arquitectura: a título de exemplo, os apartamentos têm tectos falsos, sancas em todas as janelas para esconder a calha do cortinado, portas de alto a baixo (até ao tecto) ou casas de banho de cores neutras, que conferem não apenas elegância, mas permitem depois ao cliente projectar mais facilmente o espaço ao seu gosto.
Nas tipologias disponíveis, Rita Cordeiro destaca os T3 com duas suites e os T3 em que um dos quartos pode ser facilmente transformado em escritório. O apartamento-modelo (T3) pode ser visitado, mediante marcação. Pode acompanhar todos os pormenores na página de facebook do Edifício Alto do Vale.

 

Notícia publicada na Edição de 18 de Outubro