“Crianças ao Palco” desperta para a cultura através da música

0
825

A Junta de Freguesia de Pombal volta a chamar as “Crianças ao Palco”, e já apurou os 12 finalistas do programa, que tem em vista a revelar novos talentos vocais. O projecto arrancou com as audições que decorreram durante Outubro e Novembro, num processo que deu voz a mais de 700 crianças de todas as escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico da freguesia. Posteriormente foram seleccionadas 50 crianças, na fase seguinte os mentores do projecto reduziram o número a 25, e só depois se encontraram os 12 finalistas.
Este ano são esperadas várias novidades no evento. O espectáculo final está marcado para hoje, 15 de Junho, no Largo da Biblioteca Municipal, onde os 12 finalistas vão apresentar ao vivo, e acompanhados de uma banda, 12 músicas bem conhecidas do panorama musical português. Ao contrário das edições anteriores que permitiam a repetição de concorrentes, este ano, a organização optou por deixar de fora as crianças que já subiram ao palco em anos anteriores, uma medida implementada para dar oportunidade a outros participantes de mostrar os seus dotes vocais e artísticos.
Para Pedro Pimpão, presidente da Junta de Freguesia de Pombal, este é um “evento que vai muito para além da diversão”, e que pretende que as “crianças despertem para a cultura e para as artes, através da música”. Para a apresentação da oitava edição do concurso, a organização resolveu juntar todos os vencedores das edições anteriores para partilhar momentos, e “ouvir a opinião de quem participa”.
Com o objectivo de dar “continuidade ao projecto, e como voto de confiança” pelo trabalho e dedicação, a organização resolveu, este ano, chamar Iris Silva, antiga vencedora do Crianças ao Palco, para júri do concurso.
A iniciativa é dinamizada por dois professores licenciados em Educação Musical, conta com 14 anos de existência e tem vindo a ser desenvolvida em diferentes autarquias.

A apresentação do evento contou com a presença dos vencedores das sete edições anteriores
Partilhar
Artigo anteriorCâmara encerra programa Porta Aberta na zona histórica
Próximo artigoRenascer das Cinzas
Nasceu em 1985, estudou Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra e participou num curso de formação em Jornalismo e Crítica Musical. Passa os dias a ouvir música, adora assistir a concertos e sonha viajar pelo mundo com uma mochila às costas.