Bombeiros investem 640 mil euros na ampliação de quartel

0
534

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere vai investir cerca de 640 mil euros em obras de remodelação do seu quartel-sede. Uma empreitada, em fase de concurso público, que será financiada em cerca de 540 mil euros pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR). O restante terá de ser suportado por fundos da própria instituição que, para o efeito, espera contar com o apoio de entidades e comunidade local.
A intervenção surge no momento em que o quartel da corporação conta com 26 anos de existência, apresentando “na sua génese graves lacunas quer ao nível da construção com fissuras visíveis nas paredes e elementos de suporte, ao nível da impermeabilização, caixilharia e cobertura já que a mesma é em amianto”, refere-se na informação disponibilizada pela entidade gestora do PO SEUR), frisando que “se torna urgente as obras de beneficiação do edifício”.
De acordo com o vice-presidente da direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere, Joaquim Simões, a intervenção pretende, essencialmente, “proporcionar melhores condições aos bombeiros”, mas também “preservar o património” correspondendo a uma “necessidade que já fazia sentido”. Até porque “o edifício já apresenta alguns sinais de degradação”, afirma.
Ainda segundo Joaquim Simões, as obras irão incidir “em todo o interior do edifício”, contemplando um “novo ordenamento” dos espaços, como é o caso do alargamento das camaratas, beneficiação dos balneários, criação de espaços para formação, entre outros. Por outro lado, irá criar novos espaços de garagem para acolher as diversas viaturas ao serviço da corporação.

Partilhar
Artigo anteriorBufo-real devolvido à natureza nos Poios
Próximo artigoOrçamento da Câmara de Ansião aprovado com voto de qualidade
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.