Benjamins B da AD Pedro Roma ajudam na reconstrução de Pedrogão Grande

0
4178

Sensíveis aos acontecimentos recentes, a equipa de Benjamins B da Associação Desportiva Pedro Roma resolveu ajudar as vítimas dos incêndios de Pedrogão Grande.

Depois do caos que se viveu no norte do distrito, com os incêndios que roubaram a vida a dezenas de pessoas, que consumiram hectares e hectares de zona verde e que tiraram a casa a por quem lá vivia, os meninos da equipa de Benjamins B da Associação Desportiva Pedro Roma decidiram que também queriam fazer alguma coisa para ajudar os que perderam tudo – ou quase tudo – nas chamas que destruíram os concelhos de Pedrogão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos.
Com o apoio dos pais, dos dirigentes e dos amigos da associação, a pequenada começou a vender rifas, onde todo o valor angariado seria entregue a uma família, vítima dos incêndios. O sorteio foi realizado no Torneio Miranda Cup 2017, mas os prémios não eram o ponto de interesse, aqui o que contava era a ajuda. “Angariámos 1050 euros”, anuncia Pedro Roma, visivelmente orgulhoso.
Depois de vários contactos com voluntários que estão no terreno, a AD Pedro Roma decidiu que a primeira ajuda iria para a D. Cacilda, “uma senhora de 76 anos, que vive sozinha, porque os filhos e o marido morreram cedo, e que só tem uns primos em Lisboa – que também a estão a ajudar”. Neste caso o contributo dos Benjamins B vai em forma de materiais de construção, para que sejam feitas obras de reconstrução a algumas das “paredes que confinam com a casa e os anexos onde tinha o seu meio de subsistência”. Com o dinheiro que sobrar, “vamos verificar as necessidades de outras famílias e tentar ajudar no que pudermos”. Entretanto, e com a divulgação feita nas redes sociais, o ex-guarda-redes já conseguiu a “colaboração de outras pessoas, que estão dispostas a ajudar com mobiliários ou com electrodomésticos”.
“É muito importante que os meninos tenham estas noções de solidariedade e que percebam que existem pessoas a passar por situações difíceis”, no fundo “queremos mostrar-lhes que têm tudo”, afirma Pedro Roma. Para terem essa visão, os pequenos jogadores tiveram a oportunidade de visitar D. Cacilda e perceber o estado em que se encontra a sua casa e que só não foi totalmente devorada pelas chamas “por milagre”.