Aleitamento materno – Conselhos práticos

0
3177

O leite materno é o melhor alimento que uma mãe pode fornecer ao seu bebé. As suas vantagens são universalmente reconhecidas – o seu valor nutritivo, biológico e afetivo é inquestionável. A amamentação é a forma mais fácil e económica de promover a saúde do bebé! Mas não só – há uma redução na incidência de Diabetes Mellitus tipo 2, de neoplasias da mama e do ovário nas mães que amamentam.
Para o sucesso da amamentação são fundamentais a vontade e motivação dos pais, descanso materno, alimentação materna diversificada com ingestão hídrica adequada. O pai tem um papel muito importante no apoio à mãe. A distribuição das tarefas domésticas é fundamental para a mãe ter tempo e tranquilidade para estar com o seu bebé. Os avós contribuem, e muito, para o sucesso da amamentação com a sua preciosa ajuda.
A amamentação pode ser feita deitada ou sentada, como for mais confortável para a mãe. Não há uma posição universal, cada mãe deverá adotar aquela em que se sente melhor. Poderá ser usada uma almofada de amamentação que ajuda a posicionar o bebé e facilita a amamentação, mas não é obrigatório, pode-se fazer o mesmo com uma almofada normal (ou sem ela).
Devem-se dar sempre as duas mamas alternadamente, começando sempre por uma mama diferente da vez anterior. Cada mamada não deve ser superior a 40 minutos (20 minutos em cada mama), pelo risco do bebé fazer da mama chupeta contribuindo para a maceração dos mamilos, fissuras e eventuais mastites. Após cada mamada aplicar uma gota de leite materno em cada mamilo e auréola – evita fissuras e ajuda a cicatrizar.
Os bebés enquanto só ingerem leite materno, até aos 5-6 meses, não necessitam fazer água ou outros alimentos entre as mamadas. Durante o aleitamento materno e até aos doze meses de vida deve ser feita suplementação com vitamina D. E atenção que não há “leite fraco”! O leite materno é sempre o melhor leite para o bebé. O leite pode ou não ser suficiente (a maior parte das vezes é!) e isto só pode ser confirmado pesando o bebé.
Antes de dar de mamar não é necessário lavar as mamas – o banho diário é o necessário para manter uma boa higiene mamária. É importante usar sempre soutiens adequados, com bom suporte mamário.
Se em qualquer altura uma das mamas começar a ficar dolorosa, com inchaço localizado, ruborizada e com aumento da temperatura poderá ser sinal de mastite. Não deve suspender a amamentação, mas deverá falar com o seu médico assistente.
Os pediatras (mas também todos os outros profissionais de saúde que lidam com crianças, mães e grávidas) devem, de forma ativa, promover e apoiar o aleitamento materno e é fundamental que as políticas de proteção ao aleitamento materno sejam implementadas, mas sobretudo cumpridas pelas entidades empregadoras para que cada mãe possa cumprir o seu projeto de amamentação.
E fica a mensagem para todas as mães que amamentam e para todas as grávidas que aguardam ansiosas a chegada do seu bebé: Se sentir dificuldades peça ajuda, não desista sem tentar – no final vai valer MUITO a pena!

ANA CATARINA FARO
Pediatra
Clínica Pediátrica Dr. Peixoto