Abertura do Centro Escolar de Meirinhas adiada para Janeiro

0
124

Ao contrário do que estava previsto, a abertura do Centro Escolar das Meirinhas só irá acontecer no início do segundo período lectivo, devido a atrasos por parte da empresa construtora.

O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara de Pombal no decorrer da reunião do executivo, dando conta do incumprimento contratual por parte do empreiteiro da obra.
De acordo com Diogo Mateus, o adiamento da entrada em funcionamento do novo edifício escolar deve-se a incumprimento contratual por parte do empreiteiro, que “não tem condições para entregar a obra no dia 9”, tendo inclusivamente “o prazo de execução terminado desde há algum tempo”. O autarca, que diz não ter recebido qualquer pedido de prorrogação de prazos, esclareceu a vereação que a empresa construtora, sediada no concelho e com várias obras realizadas para o município, tem registado “frequentes atrasos em obras”, sendo a de construção do novo centro escolar das Meirinhas mais uma.
Após reunião entre a câmara municipal, a junta de freguesia, o Agrupamento de Escolas Gualdim Pais e a Associação de Pais das Meirinhas, foi decidido que o arranque do ano lectivo será realizado na actual escola, sendo a transferência efectuada durante as tradicionais férias de Natal, para que o segundo período lectivo comece a funcionar no novo edifício.
Odete Alves, vereadora do Partido Socialista (PS) considerou tratar-se de uma situação “lamentável”, estranhando que “em Julho estariam reunidas as condições para a abertura do centro escolar e um mês depois já não há”. Por outro lado, a autarca defendeu que o município “terá de ter uma actuação contra a empresa construtora”, uma vez que “existe um incumprimento dos prazos contratualizados”.
Uma opinião contrária tem o vereador independente Narciso Mota. O autarca, que presidiu à câmara municipal durante duas décadas, minimizou o assunto, considerando que “não há problema maior”, mas sim que “a obra seja realizada com qualidade”. “Só quem não conhece como se fazem obras destas dimensões poderá ter uma opinião diferente”, disse, criticando, no entanto, e mais uma vez, a localização escolhida para a edificação do estabelecimento de ensino., na sede de freguesia da qual é natural.
O Centro Escolar das Meirinhas representa um investimento municipal na ordem dos 1,8 milhões de euros. O edifício irá acolher o ensino pré-escolar e o 1º ciclo do ensino básico, em “duas alas separadas, possibilitando um funcionamento independente”.
Recentemente, o presidente da Junta das Meirinhas, considerou que a construção do centro escolar “é a obra do século” para a freguesia. “Os meninos e as meninas de Meirinhas finalmente vão ter as condições que merecem para aprender, para brincar e para crescer”, afirmou Virgílio Lopes revelando a sua satisfação “com as soluções encontradas, com os equipamentos adquiridos e com os materiais didácticos que serão disponibilizadas”.

Partilhar
Artigo anteriorColisão frontal mata seis jovens trabalhadores no IC8
Próximo artigoCâmara de Ansião promove concurso de projectos inovadores
Ingressou no jornalismo, em 1989, como colaborador no extinto “Pombal Oeste” que foi pioneiro na modernização tecnológica. Em 1992 foi convidado a integrar a redacção de “O Correio de Pombal”, onde permaneceu até 2001, quando suspendeu a profissão para ser Director de Comunicação e Marketing de um grupo empresarial de dimensão ibérica. Em 2005 regressou ao jornalismo, onde continua, até aos dias de hoje, a aprender. Ao longo destes (largos) anos de actividade, atestados pelo Carteira Profissional obtida em 1996, passou por vários jornais, uns de âmbito regional e outros nacional, onde se inclui o “Jornal de Notícias” e “Público”. Foi convidado a colaborar, de forma regular, com o “Pombal Jornal” onde se produz conteúdos das pessoas para as pessoas.