A VER | Histórias e canções

0
551

Duas das iniciativas que têm dado passos consolidados na caminhada que as tornou já referências a nível regional, acontecem por estes dias em Pombal. Refiro-me ao Encontro de Literatura Infanto-Juvenil e ao Crianças ao Palco.
O segundo, que vai já na oitava edição, tem sido pautado pela descoberta de talentos para o canto. Tem dado oportunidade a que os mais novos (e respectivas famílias) descubram o talento que têm em si, mas também a que demonstrem a sua coragem, pois não deve ser nada fácil, em tão tenra idade, enfrentar uma plateia de centenas de pessoas. O espectáculo final, que este ano se muda para o Largo da Biblioteca, é o corolário de um trabalho desenvolvido ao longo do ano lectivo, em que as crianças do 1º ciclo das escolas da freguesia de Pombal passaram pelo escrutínio de músicos que avaliaram o seu potencial. Muitos deles acabam por descobrir aqui que até têm jeito para a coisa. E o público pode também fazer o seu juízo na noite de sexta-feira, se os quiser escutar. Serão doze vozes a interpretar outros tantos temas na nossa língua materna.
O Encontro de Literatura Infanto-Juvenil é outra história… Não interessa muito neste espaço focar a vertente pedagógica do evento, apesar de ser porventura a parte mais importante do mesmo e a que atrai pessoas de todo o país à cidade. Fico-me por algumas actividades paralelas, abertas à população em geral, que julgo não deve perder. Desde logo, as duas sessões de contos marcadas para as noites de quinta e sexta-feira, no Jardim da Várzea. Um espaço que funcionou muito bem no ano passado e que este ano volta a ser o escolhido, até porque o São Pedro parece que vem dar uma ajudinha. Nas duas sessões pode escutar histórias em português de Portugal e do Brasil, mas também em castelhano (ou portunhol), pela voz de nomes como Jorge Serafim, Benita Prieto, Pep Bruno ou Quico Cadaval. Pode também visitar as exposições que estarão patentes na Biblioteca Municipal ou no Teatro-Cine.

Nuno Oliveira

Partilhar
Artigo anteriorMunicípio investe na beneficiação da biblioteca
Próximo artigoARCUPS lança campanha de crowdfunding para realizar festival
Biólogo Marinho de formação e pós graduado em Turismo de Natureza, nunca exerceu profissionalmente em qualquer uma das áreas. Há uns bons anos iniciou-se nas lides radiofónicas e esse bichinho ainda hoje perdura. O gosto que tinha pelo Cinema, desde tenra idade, foi apurado nos tempos universitários e, por estes tempos, não passa um dia sem ver, no mínimo, um filme. Não perguntem qual o seu preferido pois o gosto pode variar consoante a hora. Balança de signo, mas Leão de coração, gosta de viajar e ambiciona conhecer os quatro cantos do mundo. Mas quem não sonha com o mesmo?